Como gerir a carteira de clientes em um escritório de advocacia?

Tempo de leitura: 3 minutos

Os advogados que decidem abrir seu próprio escritório passam a ter, além da responsabilidade jurídica, o papel de gestores. Quando se trata de um negócio pequeno, ainda em fase de prospecção de clientes, esse papel se torna mais simples. Porém, com o crescimento da demanda, gerir a carteira de clientes em um escritório de advocacia pode se tornar uma tarefa bastante difícil.  Por isso, separamos para você algumas dicas importantes para conciliar a gestão com o atendimento aos clientes. Confira! 🙂

Gerenciando um escritório de advocacia

1- Construa sua carteira de clientes

O primeiro desafio da gestão de um escritório de advocacia é construir uma carteira sólida de clientes. Apesar de ser uma atividade contínua, é importante que no início você prospecte novos clientes. Uma boa forma de atingir mais pessoas é através de indicações de clientes que você tem. Eles podem facilitar a entrada de novos casos e auxiliar em uma prospecção mais amigável. Outra opção é apostar em estratégias digitais como, por exemplo, um site ou página em redes sociais.

2- Planeje a comunicação

Se você não possui um setor especializado na comunicação, é importante pensar como você mesmo poderá atender a essa demanda. O primeiro passo é pensar em sua rotina e quais os meios mais simples de chegar aos clientes, sem prejudicar o seu trabalho. Uma boa solução para comunicar-se  de maneira ativa e sem gastar muito, é incluir pontos de contato por SMS e Whatsapp. A vantagem da primeira opção é que ela não exige que seu cliente possua algum tipo de conexão com a internet. Por isso, é interessante combiná-las para obter o melhor resultado possível.

3- Tenha todas as informações possíveis sobre seu cliente

A gestão de uma carteira de clientes depende muito da qualidade dos dados que você possui. Se você cuida das causas de uma empresa, por exemplo, de nada vai adiantar ter apenas informações básicas como um CNPJ ou nome. Sempre colete todos os dados possíveis para o seu banco de cadastros, isso fará toda a diferença em necessidades futuras e facilitará o relacionamento com seus clientes.

Uma boa solução para esse problema de cadastro, é manter um modelo digital de ficha cadastral que seja bastante simples e completo. Ela vai manter a entrada de dados muito mais padronizada e, dessa forma, nenhuma informação será esquecida no momento do contato. Para ajudar você a começar essa mudança, disponibilizamos aqui um modelo de ficha cadastral completo 🙂

Se você quer criar a sua própria ficha, separamos a seguir alguns dados essenciais que precisam ser incluídos. Confira!

  1. Nome completo da empresa ou pessoa
  2. CPF ou CNPJ
  3. CNAI
  4. Endereço completo
  5. Telefone
  6. Nome e telefone do ponto de contato na empresa

Nos casos onde já existe uma base de clientes que não segue um padrão, uma boa dica é realizar a higienização dos dados. Ela funciona como uma organizadora dos dados, padronizando-os de acordo com normas como, por exemplo, a dos Correios. Dessa forma, os dados que não são válidos por algum motivo são descartados e corrigidos de acordo com os padrões corretos.

4- Saiba quando delegar tarefas

É muito comum para profissionais liberais que as tarefas comecem a se acumular. Isso acontece porque, ao longo do tempo, uma mesma pessoa passa a exercer diversas funções e não se dá conta de que o escritório já é uma empresa. A melhor forma de perceber se já está na hora de aumentar a equipe, é prestar atenção em sua rotina. Se você já passa mais que 30% do seu tempo fazendo atividades que não fazem parte do seu papel como advogado, está na hora de buscar um profissional para auxiliar a rotina do seu negócio.

Quer receber mais conteúdos como este?

Se você gostou desse artigo e gostaria de ser avisado sempre que um conteúdo novo for incluído por aqui, inscreva-se em nossa newsletter 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *