Saiba como fazer a gestão do risco de crédito da sua empresa

Tempo de leitura: 6 minutos

Você conhece a importância de fazer a gestão do risco de crédito? Podemos dizer que essas ameaças são fatores inerentes a todo tipo de negociação.

É claro que existem precauções que você pode tomar para evitá-las, mas a verdade é que nunca será possível eliminá-las definitivamente.

Afinal, será que existe alguma maneira eficaz para obter a garantia total de que determinado valor será recebido?

O fato é que não existem padrões de inadimplência, o que faz com que ela chegue sem avisar e surpreenda, até mesmo, o empresário mais precavido.

Sendo assim, podemos dizer que não é possível saber com precisão se um novo cliente vai ou não realizar o pagamento. É por isso que o melhor a fazer é contar com ferramentas de análise.

A gestão do risco de crédito pode ser entendida como a ciência sobre a existência desses riscos, o conhecimento de quais são eles e as ações necessárias para que eles possam ser atenuados.

Se você ainda tem dúvidas sobre quais procedimentos adotar, continue a leitura deste post. Listamos aqui algumas dicas para que você consiga realizar esse gerenciamento com maestria. Vamos lá?

Entenda os riscos existentes

Antes de realizar uma negociação, é importante entender de que forma uma possível inadimplência impactaria o seu negócio.

Ainda que você realize uma análise de crédito do cliente e leve em conta todas as ocorrências possíveis, contar com a possibilidade de que o pagamento pode não ser feito é importante.

Verificar se o seu capital de giro ou a utilização de empréstimos e antecipações de recebíveis são capazes de cobrir as perdas em curto prazo permite ter uma ideia exata da amplitude do risco que se corre em determinado negócio.

É claro que toda empresa precisa de um plano de cobrança para inadimplentes, mas contar com mecanismos de proteção para um primeiro momento é fundamental.

Conheça os 5 Cs do crédito

Existem valores conhecidos entre os departamentos especializados em cobrança. Eles devem ser levados em conta na hora de analisar os riscos da negociação e é bem provável que você já tenha ouvido falar sobre eles.

São os 5 Cs do crédito, que podem ser determinados por: caráter, capacidade, capital, colateral e condições.

Caráter

O caráter está relacionado à reputação do cliente no mercado. São analisadas as transações efetuadas no passado e a conduta de cada um com relação ao pagamento das dívidas contraídas.

É claro que todos estão sujeitos a episódios de dificuldades financeiras, que podem levar a quadros de inadimplência. Mas, quando tal ocorrência se torna constante, é importante analisar se não se trata de um problema mais profundo.

Capacidade

Será que o cliente tem realmente condições de pagar a dívida que está para ser contraída? Em termos numéricos, é possível mensurar essa questão por meio de uma análise de capital e de histórico de compras.

Capital

Aqui, está incluso o patrimônio líquido da empresa, com tudo o que compõe o seu inventário. Nesse caso, a análise serve para mensurar a possibilidade de encontrar meios para receber a dívida em caso de inadimplência.

Colateral

Quais foram as garantias oferecidas em troca do crédito? Será que, durante as negociações, foram citados bens móveis ou imóveis ou mesmo valores que seriam dados em garantia para casos de inadimplência?

Condições

Nesse ponto, entra a situação geral do cliente e seu desempenho no mercado nos últimos tempos.

Será que existem perspectivas de crescimento ou ele está em decadência? O que ele tem buscado fazer em relação a tal situação? São questões que não devem ser negligenciadas.

Cada uma dessas variáveis deve ser levada em conta antes da concessão de crédito. Embora não representem garantias totais, são um meio de manter uma margem de segurança considerável.

Use a tecnologia a seu favor

A automação de processos permitiu que as empresas ganhassem novas ferramentas para realizar a análise de riscos.

Existem softwares que permitem integrar dados financeiros e mercadológicos do cliente, de modo a obter um relatório completo que permite uma ideia exata da conduta e do desempenho no mercado.

Esses programas disseminam conhecimentos que, além de facilitar a redução de riscos, permitem negociações mais justas, já que também possibilitam oferecer vantagens a clientes que realizam seus pagamentos em dia e apresentam boa conduta em relação às transações que realizam no mercado.

Além disso, automatizar o processo de análise ajuda na redução da inadimplência e promove ganhos em tempo e produtividade.

Conte com uma solução quantitativa integrada

A gestão do risco de crédito precisa evoluir. É importante que medidas sejam tomadas para que esse avanço se torne possível. Dentre as principais, podemos citar:

  • modelos de gerenciamento que resumam o ciclo de vida da modelagem;
  • monitoramento de pontuações de crédito em tempo real;
  • disponibilização de dados, a partir de recursos e mecanismos inteligentes, capazes de fornecer informações que impactem diretamente na tomada de decisão.

Obtenha auxílio de uma consultoria

Nem sempre realizar a gestão de crédito é tão simples quanto parece. Muitas vezes, falar com quem realmente entende do assunto pode otimizar as medidas que você já costuma tomar normalmente.

Existem algumas questões específicas que podem ser trabalhadas por uma consultoria especializada. Entre elas está a definição de políticas de crédito e de modelos estatísticos de previsão de inadimplência.

Processos automatizados e padronizados promovem melhor controle de usuários e otimização do tempo.

Dessa forma, é possível, ainda, reduzir custos e despesas. Tudo isso pode ser trabalhado com o auxílio de uma consultoria.

Tais empresas contam com profissionais especializados e experientes, capazes de oferecer suporte na tomada de decisões relacionadas à concessão de crédito, além de bancos de dados atualizados com informações sobre a conduta de clientes no mercado.

Como se pode ver, a gestão do risco de crédito é indispensável para evitar casos recorrentes de inadimplência.

Embora não seja possível prever tais eventos com exatidão, uma análise profunda e detalhada permite classificar fatores entre relevantes e irrelevantes e decidir de acordo com essas premissas.

Uma empresa que realiza corretamente esse gerenciamento fica menos suscetível aos impactos causados pela falta ou mesmo atraso de pagamentos.

Se este post foi útil para você, entre em contato conosco e conheça nossas soluções!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *