Saiba como prevenir sua empresa de fraudes

Infelizmente, a corrupção não se restringe ao contexto político e às investigações da Operação Lava Jato.

Fraudes são também frequentes no mundo dos negócios, seja dentro da própria empresa ou nas relações desta com clientes e com fornecedores ou parceiros. Pequenos ou grandes, os desvios provocam altas perdas financeiras e ameaçam a sustentabilidade das organizações. Por isso, reunimos aqui algumas dicas para você prevenir a sua empresa deste tipo de problema.

Análise do cenário brasileiro

O Relatório Global de Riscos e Fraudes, publicado em 2017 pela consultoria Kroll, revelou que quase 70% das médias e grandes empresas brasileiras identificaram fraude em suas operações durante 2016, principalmente por meio de sistemas de denúncia e por auditoria interna.

Em termos de responsabilidade pelas atividades ilícitas, 39% dos entrevistados foram alvo de fraude por funcionários de baixo escalão, 30% por profissionais de alto escalão, 27%  por agentes intermediários, ex-funcionários e autônomos/terceirizados e 23% de parceiros, entre outros. Entre os tipos de fraudes mais comuns no país estão o roubo de ativos físicos e a fraude de vendedores/compradores/fornecedores.

Por isso, as principais medidas adotadas pelas empresas para combater e reduzir os riscos envolvem segurança de TI (para proteger informações), proteção de ativos físicos (sistemas de segurança física, estoques, identificação, registro, etc.), criação de um departamento de análise de risco, implementação de controle financeiro, due diligence em terceiros, entre outros.

Como proteger a sua empresa de fraudes?

As ações antifraudes variam de acordo com o tamanho da empresa e com a sua atuação. Pequenos comércios físicos, por exemplo, devem ter cuidado com estoques, realizar inventários periódicos, bem como investir em controle financeiro e sistemas de cobrança. Já quem atua no comércio virtual, o e-commerce, precisa redobrar a segurança de TI e dos sistemas de proteção às transações financeiras contra ciberataques.

No intuito de reduzir fraudes de clientes, empresas de todos os tamanhos devem contar com sistemas como o Localize, da Assertiva, para validação cadastral e prevenção de fraude de identidade de cliente novos e atuais.

Já para evitar atividade ilícita interna, é recomendável informatizar processos, como o controle de pagamentos, emissão de notas fiscais, controle de estoque e informações de funcionários, além de abrir um canal para denúncias.

Além disso, o “desconfiômetro” também deve estar sempre ligado: por mais antigo e eficiente que seja um funcionário, jamais deixe de fiscalizar seu trabalho, pois grandes desvios já foram realizados por pessoas com esse perfil. E na hora da contratação, o RH ou a pessoa responsável pela seleção deve investigar o histórico dos candidatos para evitar pessoas com registro de fraudes.

Também é pertinente verificar frequentemente a situação do seu CNPJ e acompanhar transações bancárias para identificar possíveis golpes realizados com a identidade da sua empresa.

Por fim, as auditorias internas são importantes para a prevenção, identificação e apuração de fraudes nas organizações. Popularmente, o procedimento é associado a grandes empresas, mas na verdade as auditorias também são interessantes para pequenos e médios empreendimentos, pois auxiliam o negócio a crescer de maneira estruturada e previnem erros e fraudes. Por isso, se o seu orçamento comporta uma auditoria anual, priorize essa prática.

Os comentários estão encerrados.