Hack To Change – Como tornar a cobrança mais amigável através da tecnologia?

No último fim de semana, o Instituto Geoc promoveu em parceria com a Assertiva e a Proa Tecnologia Criativa, o seu primeiro hackathon. O Hack To Change – como foi nomeado – foi palco para um desafio que faz parte da rotina de todas as empresas que fazem parte do setor de cobrança: como cobrar de forma amigável e nos horários em que o cliente prefere?

Há alguns anos atrás, seria impossível imaginar uma sociedade que reúne todas suas informações mais importantes em um dispositivo móvel. Hoje, quase ninguém vive sem um smartphone. Para comprovar essa teoria, basta observar que você mesmo provavelmente está acessando esse artigo de seu celular ou está com ele bastante próximo de você. Toda essa dependência poderia refletir em um maior sucesso para operações que realizam o atendimento puramente por telefone. Entretanto, outro fator é muito importante na mudança de comportamento que tivemos nos últimos anos. As pessoas deixaram de usar os celulares para o seu fim mais básico: ligar e receber ligações.

Hack To Change – Igeoc

A maratona para cumprir o desafio de criar soluções inovadoras para o mercado de cobrança continua aqui no Hack To Change, promovido pelo Instituto Geoc, em parceria com a Assertiva e a PROA Tecnologia Criativa. Confira um pouco do que já rolou por aqui e acompanhe nossa página para conferir os grupos que vão competir na grande final 😉

Posted by Assertiva on Sunday, May 6, 2018

Segundo a pesquisa realizada pelo IGEOC em 2017, a maioria das pessoas prefere resolver situações de débito, pagar contas e fazer compras através da internet. As ligações telefônicas não foram citadas pelos entrevistados como um bom método de atendimento, com ressalva para casos onde eles precisam negociar com uma condição facilitada.  Outro fator bastante importante e que pode impactar o insucesso da cobrança, é que 41% dos participantes afirmaram que preferem ser acionados após o expediente. Nesse cenário, como realizar uma cobrança efetiva, mesmo com uma operação tradicional?

A tecnologia como ferramenta para cobrança

Pensando nos problemas com horário de atendimento, humanização e localização de pessoas, algumas soluções foram criadas durante o Hack To Change. Cada uma delas possuía seu formato e motivação. Entretanto, reunimos abaixo quais foram os principais métodos inovadores que as equipes integraram em seus projetos. Confira!

Inteligência artificial

Você se lembra dos filmes Matriz, Eu Robô, AI e Ela? Todos esses filmes tratavam a inteligência artificial como uma tecnologia de um futuro muito distante. Até então, parecia impossível conversar com um robô e sentir que é um humano ou até mesmo ter respostas coerentes vindas da ferramenta.

Já nos dias de hoje, a inteligência artificial já faz partes da nossa rotina. Talvez você não saiba da aplicação, mas os robôs que conversam pelo Facebook, a própria robô Luiza – representante virtual do Magazine Luiza – e aplicativos que conversam com você estão usando essa tecnologia.

A inteligência artificial trás para a cobrança uma nova saída para recepcionar devedores como, onde e quando eles podem falar. Isso porque ela não é dependente de um humano programando-a em todas as etapas e é capaz de aprender com a rotina de atendimento. Para ficar mais claro, separamos a seguir um vídeo de como é possível otimizar um robô através do aprendizado com situações reais. A inteligência utilizada é o Watson, produzido pela IBM.

Gameficação

O Ser Humano é movido por desafios. Fazer uma simples atividade pode parecer muito mais interessante se houver uma recompensa no final. Pensando nisso, alguns grupos utilizaram o recurso de gamificar uma plataforma de cobrança, ou seja, oferecer recompensas conforme o usuário cumpria sua proposta de pagamento. Esse tipo de ação pode ser realizada através da tecnologia, utilizando aplicativos ou recursos no próprio site da assessoria, ou até mesmo por e-mail, utilizando lembretes de pagamento e a quantidade de dinheiro que precisava ser guardado em um período para realizar a quitação de um débito.

Tratamento e análise de dados

O uso de mailing para contactar devedores já é uma tradição no mercado de cobrança. Entretanto, o tratamento e análise da base de dados é uma das estratégias que podem fornecer resultados muito positivos.

Hoje, a maioria das assessorias de cobrança mantém o histórico de acionamentos, o tipo de acionamento e a frequência de atendimento em plataformas diferentes e sem o cruzamento de dados. Foi justamente a união dessas informações que fez com a equipe Deep Mailing fosse declarada vencedora do Hack To Change. A ideia da equipe foi usar a informações que as assessorias já possuem, para analisar qual o melhor meio e horário para contatar determinado devedor.

Estratégias como a que venceu o hackathon da Igeoc são muito dependentes da qualidade dos dados utilizados. Por isso, além de toda a tecnologia de BI necessária, é preciso realizar o tratamento correto do mailing.

Gostaria de saber como melhor hoje mesmo seus resultados na cobrança?

A inovação é um dos caminhos para alcançar resultados positivos na cobrança. Porém, existem atitudes simples e com baixo ou zero custo que também podem fazer a diferença. Confira neste artigo quais são elas.

Deixe uma resposta