Metodologias Ágeis: como tornar seus colaboradores mais produtivos?

Com a chegada da tecnologia ao mundo corporativo, surge também a necessidade de tornar as equipes de trabalho mais produtivas e os ciclos mais vantajosos. Na busca por alternativas que possibilitem isso, os gestores acabam se deparando com as chamadas metodologias ágeis.

Diferentemente do que muitos pensam, não são só as empresas voltadas para o desenvolvimento de softwares que podem adotar esses modelos de trabalho. Hoje, cada vez mais os times de marketing, financeiro, vendas, entre outros vêm aproveitando elementos dessa agilidade, que pode resolver questões comuns a qualquer organização que atua com o gerenciamento projetos.

Pensando em tudo isso, neste artigo vamos te mostrar o que são as metodologias ágeis, quais as vantagens e como elas podem te ajudar a otimizar o trabalho da sua equipe. Vamos lá?

O que são metodologias ágeis?

As metodologias ágeis surgiram da vontade que os profissionais da área de Tecnologia da Informação tinham de resolver problemas que por vezes acabavam dificultando a fluidez de seus trabalhos. Alguns exemplos eram a falta de comunicação entre os membros do time, as longas etapas de produção e a falta de alinhamento entre a equipe e o cliente – concorda que essas situações podem ser encontradas também fora da área de TI?

Assim, de um modo geral, essas ferramentas levam em consideração três pilares – transparência, responsabilidade e empirismo – e defendem que o planejamento deve ser adaptável, os times devem ser multidisciplinares e auto-organizadores e o desenvolvimento, contínuo e evolucionário.

Mas o primeiro passo para entender de fato os princípios que regem as metodologias ágeis é conhecer o chamado Manifesto Ágil. E é justamente sobre isso que vamos falar no próximo tópico. Continue a sua leitura!

O Manifesto Ágil

Algumas metodologias surgiram antes disso, mas foi em 2001 que um grupo formado por 17 desenvolvedores se reuniu para criar o Manifesto para Desenvolvimento Ágil de Software, que oficializa a existência e estabelece princípios que caracterizam essas ferramentas.

O que muita gente não entende é que esses “mandamentos” não excluem as partes mais burocráticas do processo, e sim valorizam e priorizam outras questões que podem garantir mais agilidade e produtividade.

Sendo assim, as sentenças que norteiam todo o Manifesto Ágil e, consequentemente, as metodologias são:

  • Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas: valoriza as interações entre os indivíduos que fazem parte do projeto e a humanização desse trabalho. A qualidade dos relacionamentos e a motivação de cada um são essenciais para o resultado final, enquanto o foco excessivo nos processos e ferramentas pode comprometer isso.
  • Software em funcionamento mais que documentação abrangente: no lugar de documentos extensos com explicações minuciosas, valoriza o bom funcionamento do produto final. As documentações podem existir, mas devem ser enxutas e conter só o necessário.
  • Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos: os contratos com clientes são importantes, mas devem ser elaborados de maneira flexível, levando em consideração possíveis mudanças de mercado e cenário sociopolítico, e a satisfação final do cliente.
  • Responder a mudanças mais que seguir um plano: focar demais no planejamento a longo prazo do projeto faz com que a equipe e os processos não reajam bem às mudanças ao longo do percurso.

Delas são extraídos outros 12 princípios, muito importantes para entender melhor tudo o que explicamos acima.

As principais ferramentas ágeis

Agora que você já entendeu o principal conceito que envolve as metodologias ágeis, que tal conhecer as mais usadas? Neste tópico vamos falar um pouco sobre cada uma delas!

SCRUM

Uma das mais utilizadas, o Scrum é dividido em Sprints, ciclos de 1 a 4 semanas em que todas as atividades envolvidas no processo, desde o planejamento até a entrega final, devem ser conduzidas.

No fim de cada Sprint o time deve fazer uma revisão do que foi desenvolvido, além de validar se tudo saiu como deveria ou se precisa de algum ajuste ou modificação. Isso acontece até que o backlog (ou lista de prioridades) seja concluído e o produto esteja pronto para ser entregue.

Nesse modelo deve existir um Dono de Produto, que será a pessoa responsável por representar os interesses do cliente.

KANBAN

O Kanban é uma ferramenta ágil criada para elevar o nível de produção de uma equipe, através da representação visível do andamento do processo. O principal objetivo é diminuir o desperdício, encurtar os ciclos de feedback e aumentar a previsibilidade da entrega.

Assim, ele pode ser definido por três colunas principais: “para fazer”, “fazendo” e “feito”. Nessas colunas são distribuídos cartões que simbolizam as tarefas que entregam algum valor ao cliente final. Essas tarefas devem ser movidas de uma coluna para a outra, na medida em que vão sendo feitas e concluídas.

LEAN

Já a metodologia do Lean pode ser usada nas empresas visando identificar e eliminar os desperdícios do processo. Por isso, somente os recursos realmente necessários são utilizados para que um trabalho seja entregue. Redução dos custos, aumento da qualidade e da produtividade, além da troca de informações são os principais pilares.

Nesse modelo, há a definição de MVP (Minimum Viable Product ou produto mínimo viável) que segue os seguintes conceitos:

  • Minimum: o menor tamanho possível, que possa ser entregue no menor tempo possível.
  • Viable: importante o suficiente para que o cliente adote esse produto, se possível gerando receita.
  • Product: funcionalidades encaixadas em uma entrega que se assemelhe a um produto útil.

SMART

Aqui, a estruturação das metas e objetivos da equipe é transformada em SMART quando guiada por 5 critérios específicos. São eles:

  • S (specific ou especificidade): o que aquela meta significa para você?
  • M (mensurable ou mensurável): sua meta pode ser mensurada em termos financeiros, de tempo ou de resultados?
  • A (attainable ou alcançável): é possível alcançar essa meta?
  • R (relevant e relevante): sua meta é realmente relevante para algum resultado?
  • T (time-related e temporal): em quanto tempo essa meta precisa ser atingida?

Como motivar os membros da sua equipe?

Como você pôde ver, um dos princípios das metodologias ágeis diz que a qualidade dos relacionamentos e a motivação dos membros do time são essenciais para o resultado final. Assim, é muito importante que você, como gestor, saiba engajar os seus colaboradores. Clique aqui e confira 6 dicas de como motivar os funcionários!

Deixe uma resposta