Depreciação acelerada: o que é e como impacta o mercado de locação de equipamentos

Depreciação acelerada

Apesar do termo depreciação ser comum, a depreciação acelerada tem um contexto particular. Conhecer esse método contábil gera impactos positivos para a empresa, sobretudo no mercado de locação de equipamentos.

Afinal, quando um maquinário envelhece, vai ter o seu funcionamento diminuído e a quantidade de manutenções para mantê-lo operando dentro da normalidade serão ainda mais necessárias.

Isso significa que você vai dispender de um valor maior para que ele funcione, sem receber os mesmos ganhos. Para sua sorte, a contabilidade consegue te auxiliar a evitar descontrole no faturamento da sua empresa.

Saiba mais sobre depreciação acelerada!

O que é depreciação acelerada? 

Depreciação é um conceito contábil que tem relação com o desgaste de bens móveis.

É um termo que costuma ser utilizado popularmente quando comercializamos bens ou imóveis, mas está sempre no radar de quem contabiliza os custos de ferramentas industriais, por exemplo.

Basicamente, a ideia que está por trás na análise da depreciação é que maquinários mais antigos são menos eficientes do que novos. Isso significa que sua produtividade será menor, logo o seu custo de manutenção vai aumentar. 

A depreciação acelerada, por sua vez, é o conjunto de métodos que centralizam os custos maiores nos anos iniciais de uso dos ativos, e os mais baixos, consequentemente, nos últimos anos de uso.

Mas e se o ativo não estiver desvalorizado, apesar do uso?

Máquinas e bens depreciam-se de formas diferentes. Inclusive, se um equipamento estiver em bom estado mesmo após anos de uso, pode dar o mesmo lucro que um equipamento novo.

Porém, a depreciação acelerada considera a descrição contábil desde o início da vida útil do ativo. A lógica é que um equipamento seja mais utilizado quando novo e que seja menos utilizado à medida que o tempo passa.

Nesse sentido, a depreciação acelerada é mais realista para uma empresa de Lucro Real, e mais adequada do que a linear, que entende que a depreciação acontece sempre como um mesmo valor anual.

Quais são os tipos de depreciação?

Podemos citar três tipos de depreciação: a acelerada, de que estamos tratando neste texto, a contábil e a fiscal.

Entenda mais sobre elas!

Depreciação contábil

Esse tipo de depreciação consiste em atribuir um valor, um custo financeiro, a um ativo, que pode ser um maquinário, um equipamento, um produto, enfim, algo tangível, que esteja envelhecendo.

Esse valor atribuído ao ativo é uma convenção feita com base em regras contábeis específicas que têm relação com o modo e o período em que a dedução será realizada.

Depreciação fiscal

Nesse caso, a depreciação considera o planejamento tributário da empresa, em relação à contabilidade dos ativos e, com isso, analisa o modo de aplicar esse dado na dedução dos impostos.

Com a depreciação fiscal, você calcula esse valor como parte do custo e garante a possibilidade de descontá-lo do seu Imposto de Renda e até mesmo da sua Contribuição Sindical.

Como funciona a depreciação acelerada  na locação de equipamentos? 

Há uma legislação específica para tributação, fiscalização, arrecadação e administração do Imposto de Renda e outros proventos em relação à depreciação de equipamentos.

Mas vamos pensar em uma situação hipotética que nos auxilie a entender esse assunto e aplicar para a sua realidade.

Suponha que você adquira uma máquina no valor de R$30 mil. Estima-se que esse ativo mantenha o mesmo valor no prazo de 5 anos. A taxa de depreciação é de 20% ao ano.

Todo ano, a depreciação vai girar em torno de R$6 mil, subindo para R$12 mil no ano seguinte e assim por diante.

Ao final dos 5 anos, e contabilizando os impostos envolvidos, sua empresa terá controle de caixa para investir em novas máquinas ou mesmo em manutenção necessária para manter o equipamento em operação.

Os benefícios fiscais da depreciação acelerada

Embora o envelhecimento de bens móveis seja um dado natural de qualquer equipamento, ele configura um problema contábil para a empresa, já que funciona como se fosse uma despesa de depreciação.

A maior preocupação dos empreendedores relaciona-se com a quantidade de horas em que se utiliza o ativo e como contabilizar isso com encargos dedutíveis. Para isso, existe a depreciação acelerada.

Por meio dela, você consegue contabilizar encargos maiores no resultado do cálculo tributário.

Entender de depreciação acelerada garante melhor cálculo tributável para a sua empresa de locação. Continue estudando esse assunto por meio do post: “Depreciação de máquinas e equipamentos: o que é e como calcular”. 

Você também pode gostar