Com o crescimento da inadimplência ameaçando diversos segmentos, descobrir novas formas de cobrar o cliente é fundamental para manter a saúde financeira da empresa. Mesmo que esteja satisfeito com sua modalidade de cobrança atual, você pode encontrar no mercado soluções que otimizem ainda mais seus processos.

O assunto é delicado. Escolher o modelo de cobrança ideal para qualquer negócio requer atenção e cuidado. Um desequilíbrio na abordagem ou uso do canal inadequado ao perfil de cliente pode gerar efeitos indesejados, prejudicando a imagem da empresa ou até aumentando número de devedores.

Nesse artigo, vamos ajudar você a compreender melhor as modalidades de cobrança existentes e o que considerar antes de escolher uma delas.

Quais as modalidades de cobrança existentes?

Sem mais demoras, acompanhe a seguir nosso levantamento sobre as modalidades de cobrança mais utilizadas, bem como alguns toques para utilizá-las de forma assertiva!

Cobrança preventiva

Essa modalidade de cobrança parte do princípio que o processo de cobrança começa antes de o atraso ser efetivado. Utiliza mecanismos para abordar o cliente antes do vencimento da fatura e o auxilia a efetuar o pagamento na data prevista.

O canal mais utilizado para enviar lembretes de pagamento é o SMS, em função da sua alta taxa de entrega e de abertura, com baixo custo. Contudo, outros canais digitais podem ser utilizados como o e-mail, WhatsApp ou Telegram.

Procure enviar alertas com, no máximo, 3 dias de antecedência. É interessante também programar a régua de cobrança para disparar uma mensagem na data do pagamento, com link para acessar o boleto.

Um dos pontos mais interessantes na cobrança preventiva é a postura facilitadora que ela imprime à empresa, auxiliando mesmo durante a cobrança. O modelo evita que o cliente arque com a cobrança de multas, juros e futuras complicações financeiras. E, claro, colabora para reduzir os índices de inadimplência.

Ligações Telefônicas

Uma das modalidades de cobrança mais antigas, mas também muito efetiva. A cobrança por telefone consiste em buscar contato com o cliente após o atraso, informando-o sobre juros, multas e a urgência do pagamento da dívida.

Esse modelo é excelente para estreitar o relacionamento com o cliente, embora tenha um custo operacional elevado. A tecnologia, no entanto, tem ajudado bastante nesse sentido. Um exemplo disso é a telefonia VoIP, excelente para quem pretende ajustar o método de cobrança telefônico a um orçamento compacto.

Com o tempo e a experiência com a cobrança telefônica, seu operador começa a perceber quais clientes estão propensos a pagar de fato e quais merecem um acompanhamento mais próximo. 

Para melhores resultados, tenha atenção aos horários das ligações e ao tom de voz utilizado com cada público. Respeito e educação são o mínimo necessário para não transmitir uma impressão negativa da empresa.

Envio de cartas

Outra técnica de cobrança bem tradicional é o envio de cartas de cobrança. Com uma abordagem um pouco mais formal e técnica, elas servem também como respaldo jurídico, necessário caso a dívida tome proporção e exija medidas legais para ser resolvida.

Uma dica é trabalhar com o envio da carta com boleto, facilitando a vida do cliente que já tem a pretensão de pagar, mas está sem tempo para solicitar o documento. O custo de remessa e postagem será o mesmo, mas as chances de recuperar o valor aumentam.

É possível contratar o serviço diretamente com o banco onde você registrou a cobrança, ou fazer o processo internamente. Se optar pela segunda opção, terá maior liberdade para ajustar a mensagem de cobrança conforme valores e objetivos da empresa.

Cobrança Digital

A cobrança digital nada mais é do que a inserção de canais e ferramentas digitais dentro do plano de cobrança. Embora não a torne totalmente automatizada, a mudança trará maior agilidade para alguns processos, além de reduzir significativamente o custo com disparos de mensagens e de boletos.

Com uma sociedade cada vez mais inserida no ambiente digital, em muitos casos é mais fácil interagir com o cliente por um e-mail, SMS ou portal de serviços do que garantir que ele recebe uma carta física.

Sem contar que essa estratégia de cobrança se adéqua bem ao uso combinado de diversos canais na régua de cobrança, incluindo também os meios mais convencionais. Assim você garante diversas formas de fazer cobrança em uma única estratégia.

Cobrança via protesto cartorial

O protesto de títulos é uma medida legal que permite o registro da dívida em cartório. O mais comum é utilizar o recurso somente em último caso, porém, existem empresas que preferem atuar com o protesto automático após alguns dias de atraso.

Depois de registrar a dívida, o cartório notifica o devedor, que pode realizar o pagamento com o documento cartorial ou diretamente na empresa. Após a quitação, é preciso emitir e enviar uma carta de anuência para o cliente.

Essa modalidade de cobrança costuma trazer bons resultados. No entanto, pondere se ela compromete sua relação com o devedor, já que ele pode ser negativado rapidamente caso não efetue o pagamento. Lembre-se que uma boa negociação é aquela onde os dois lados ganham e você continua com o cliente em carteira.

Pagamentos recorrentes

O pagamento recorrente não é exatamente um método de cobrança de inadimplentes, mas exerce um trabalho importante na prevenção do problema. Nele, a compra é realizada por cartão de crédito, porém as parcelas são lançadas mês a mês, sem comprometer o limite do consumidor.

Para utilizar esse sistema você deve contratar uma plataforma de intermediação dos pagamentos, o que pode reduzir um pouco a margem de lucro. No entanto, se a redução dos atrasos for significativa e o modelo se encaixar no seu negócio, vá em frente.

Cobrança terceirizada

Contratar uma assessoria pode ser uma boa pedida para quem não quer lidar com o processo desgastante da cobrança, tem um alto volume de atrasos ou deseja apoio profissional para realizar as abordagens.

Algumas plataformas permitem, inclusive, a automação do processo, onde o cliente acessa um site e realiza a negociação online da dívida, sem a presença de um agente. Essa modalidade transmite agilidade à cobrança, embora a empresa perca a oportunidade de manter contato e estreitar o relacionamento com o cliente.

Como escolher sua modalidade de cobrança?

Para escolher entre uma dessas modalidades de cobrança, pense naquela que traga maior efetividade para a cobrança e os recebimentos, mas que não prejudique seu modelo de operação e vendas.

Não existe a melhor ou a pior entre elas. Cabe então avaliar qual se encaixa melhor à política de cobrança e saúde financeira do negócio. O importante na escolha é manter sempre uma gestão da cobrança próxima, apurando a efetividade do modelo e o que pode ser adaptado.

Todas as modalidades de cobrança apresentadas aqui tem efetividade comprovada e podem contribuir para minimizar a inadimplência do seu negócio. Portanto, a decisão deve passar também por fatores como custo, facilidade de gerenciamento, melhor experiência do consumidor, entre outros.

Por se tratar de uma questão vital para sua empresa e para a vida do inadimplente, é fundamental ter uma estrutura de cobrança que equilibre as necessidades e ofereça flexibilidade para ambos. Pense nisso!

E como anda a sua política de cobrança?

Agora que você sabe como escolher a modalidade ideal para sua realidade, que tal regulamentá-la em uma política de cobrança bem organizada? Clique aqui e ouça o Episódio 3 do CrediCast, nosso podcast com dicas para estruturar esse ponto essencial.

0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar