Saiba como funcionam as consultas integradas

como funcionam as consultas integradas

Você também pode acompanhar o artigo Saiba como funcionam as consultas integradas por áudio. É só clicar no player abaixo!

As consultas integradas representam a garantia de que as análises de crédito e a formação do score de propensão de pagamento serão precisas. Por meio desse conjunto de técnicas de pesquisa em bancos de dados, sua empresa reduz os riscos nas vendas parceladas. Quanto mais abrangente for uma busca, mais segurança na hora de conceder ou negar crédito, não acha?

Para reduzir os prejuízos causados por clientes inadimplentes, é necessária uma análise ampla, o que implica adotar não apenas um, mas vários critérios de pesquisa ao mesmo tempo. Esses critérios, por sua vez, precisam do apoio de ferramentas desenvolvidas para detectar potenciais devedores por múltiplas abordagens.

Quer entender melhor como funciona e como aplicar a abordagem integrada em suas consultas? Então, vá em frente, aqui você encontrará informações do seu interesse!

Os principais critérios em consultas integradas

Da mesma forma que o consumidor de hoje demanda soluções de comunicação integrada, uma política de crédito eficaz não pode dispensar a integração de seus canais.

Em outras palavras, isso significa que não basta apenas saber se um cliente tem anotações em seu nome. Antes de mais nada, é essencial considerar outros aspectos para que as vendas a prazo gerem receitas ao longo do tempo.

A seguir, veja quais são esses critérios e como eles se inserem no contexto das pesquisas integradas.

CPF e CNPJ

Uma das consultas mais utilizadas para confirmar se um cliente tem restrições ao crédito é a que usa o número de seu CPF, quando pessoa física, ou CNPJ, no caso das pessoas jurídicas. Uma vez que sua empresa tem um banco de dados atualizado, é só procurar nesses registros possíveis anotações nos cadastros nacionais.

Há empresas que utilizam apenas esse tipo de consulta para aprovar ou não uma venda parcelada ou na concessão de crédito pessoal. Contudo, o mais indicado seria integrar outros critérios, afinal, existe a possibilidade de defasagem nos dados, ou mesmo anotações por outros motivos que contraindicariam o cliente em análise.

A consulta aos cadastros de pessoas físicas e jurídicas pode revelar as seguintes restrições:

  • protestos nacionais;
  • cheques sem fundos;
  • dívidas vencidas;
  • ações judiciais;
  • participação em processos de falência;
  • restrições financeiras.

Situação fiscal

Pendências com a Receita Federal também representam um risco, uma vez que indicam propensão à inadimplência. Assim sendo, este é mais um critério que você deverá considerar na hora de elaborar consultas integradas.

Vale destacar que, se sua empresa negocia com outras empresas e elas, por exemplo, estiverem respondendo por ações desonestas, há o risco de que você seja envolvido, mesmo que indiretamente.

Protestos

A consulta por protestos é, de certa forma, uma modalidade da consulta por CPF ou CNPJ. A diferença fica por conta do foco, orientado para revelar se um nome tem algum tipo de protesto registrado em cartórios em um estado em particular. É o caso das pessoas que deixam de fazer pagamentos, independentemente da forma acordada.

Após o prazo legal, as empresas têm o direito de protestar a dívida em cartório, como recurso de cobrança.

Considere que um protesto representa um sério risco para a sua empresa. Dessa forma, ter uma dívida protestada e não paga indica que o nome analisado é um sério candidato à inadimplência.

Situação financeira

Além dos parâmetros relacionados à propensão de pagamento, você também deve incluir em seus critérios de pesquisa a situação financeira. Nesse caso, o que se leva em conta é a proporção entre o crédito solicitado e a capacidade de pagamento do cliente, considerando seus rendimentos.

Instituições financeiras, por exemplo, normalmente adotam o critério de comprometimento de até 30% da renda como limite para empréstimos. Seria como se um cliente que ganhasse R$ 1,5 mil pudesse pedir até R$ 450,00.

No entanto, para alguns tipos de perfil, a situação financeira não é o suficiente, já que existe a possibilidade de a pessoa estar envolvida em outros tipos de financiamento. Isso comprometeria ainda mais sua margem, restringindo o acesso ao crédito.

As razões para implementar as consultas integradas

Considerando os critérios expostos, não é difícil concluir que uma análise de crédito efetiva depende de consultas em instâncias variadas. Uma anotação em um órgão de proteção ao crédito é sempre reveladora, entretanto, pode não ser suficiente. Há aspectos que podem rebaixar ou elevar o score bancário ou de propensão a pagamentos.

Um cliente que tem rendimentos de R$ 10 mil e faz uma compra com parcelas de R$ 50,00, por exemplo, representaria um risco, mesmo com uma anotação?

A análise de crédito, embora seja sempre baseada em números, não dispensa o uso do bom senso. Lembre-se de que o objetivo maior é maximizar seus lucros e não promover uma “caça às bruxas”. Em outras palavras, mais do que evitar os maus pagadores, sua empresa precisa vender para quem pode e se dispõe a pagar.

A importância do apoio de especialistas

Para empresas que não têm expertise em consultas ou não dispõem de banco de dados consolidado e atualizado, a alternativa para integrar os critérios é contar com ferramentas desenvolvidas com essa finalidade.

Esses recursos permitem a realização de pesquisas a partir de dados em grandes volumes, em que é feito, simultaneamente, o cruzamento das informações. Assim, os resultados vão apontar com segurança para os perfis mais ou menos indicados, dependendo da sua avaliação.

A implementação precisa de sistemas de análise de crédito garante a economia de recursos, não apenas por evitar a inadimplência. A gestão da cobrança é simplificada, afinal, sua empresa reduzirá ao mínimo a taxa de clientes com dívidas em aberto.

Quanto mais filtros seu negócio utilizar para reduzir a incidência de devedores, menores os riscos associados nas vendas a prazo. Entretanto, esses filtros não podem representar uma barreira intransponível, afinal, você poderá afastar pessoas que, no final das contas, poderiam ser bons clientes.

Utilize as consultas integradas junto com ferramentas que garantam a tomada de decisões baseadas em critérios mais equilibrados. Assim, você estará não só blindando seu negócio da inadimplência, como garantindo o acesso ao crédito para as pessoas certas.

Quer saber mais sobre consulta de crédito?

Agora que você conhece a importância das consultas integradas, está pronto para saber mais sobre os elementos principais da consulta de crédito. Lembre-se que informação é poder, por isso, clique aqui e tire suas dúvidas sobre o assunto.

Clique aqui e baixe agora o nosso combo de conteúdos sobre como fazer uma política de crédito!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar