Consulta de Crédito: TUDO o que você precisa saber para o seu negócio!

Tenho certeza que você já escutou algo sobre consulta de crédito, talvez tenha até uma certa familiaridade com o tema ou trabalhe diretamente com áreas e processos em que esta prática seja rotineira e obrigatória.

Independentemente do nível de proximidade com o assunto, as atividades ligadas à concessão de crédito são extremamente relevantes para maioria das empresas e seus gestores.

Pensando nisso, este post tem um objetivo bem claro: iremos a fundo nos principais tópicos, além de abordar as melhores formas de usar a consulta de crédito para o crescimento do seu negócio.

Neste artigo você vai ver:

O que é consulta de crédito?

Consulta de crédito é uma etapa do ciclo da proteção ao crédito que visa pesquisar informações relativas a pessoas físicas ou jurídicas antes de conceder qualquer tipo de condições creditícias.

Existem várias maneiras de conceder crédito no mercado. Quando uma loja de roupas vende algum produto à prazo ou quando uma financeira realiza um empréstimo, consequentemente, elas estão confiando ao cliente uma certa quantia de crédito. Assim, as formas de disponibilizar e conceder crédito variam de segmento para segmento.

E é neste cenário que a consulta de crédito ganha uma importância significativa para garantir segurança e previsibilidade nas relações comerciais e econômicas de uma organização.

Clique aqui e baixe agora o nosso combo de conteúdos sobre como fazer uma política de crédito!

Quem nasceu primeiro: a concessão de crédito ou a consulta de crédito?

Toda história de crédito no Brasil é baseada em dois momentos distintos. Entretanto, apesar das diferenças, o objetivo é basicamente o mesmo: garantir relações comerciais e creditícias com mais segurança e conformidade.

Antes mesmo de se pensar em birô de crédito como vemos hoje, é necessário analisarmos os problemas recorrentes no cenário econômico, como o crescimento da inadimplência. No início, os comerciantes, banqueiros e outros agentes do mercado não tinham critérios tão estabelecidos para concessão de crédito.

A criação do primeiro birô com informações básicas sobre clientes surgiu das relações de compra e venda dentro do comércio. Ou seja, décadas atrás, antes mesmo de existir o CPF, já havia a preocupação de recuperar o crédito decorrente de vendas à prazo dentro do comércio local.

No começo não existia toda essa tecnologia para organização e criação de um banco de dados como vemos hoje. Tudo era feito em um fichário com o nome das pessoas que compravam a prazo nas lojas e não pagavam, simplesmente uma lista de devedores e nada além disso.

Outro fato importante em toda história do crédito na Brasil ocorreu em um cenário um pouco diferente: o das instituições financeiras e bancárias. Na época, essas organizações se juntaram com a intenção de criar um banco de informações que facilitasse o acesso aos dados de pessoas físicas e jurídicas, principalmente na concessão de reforço financeiro para seus potenciais clientes. Afinal, liberar crédito é um dos principais serviços nesse modelo de negócio.

Por isso, a concessão de crédito veio antes da consulta. Anteriormente não havia o pensamento preventivo ou um processo consolidado quando o assunto era vender à prazo, realizar um empréstimo ou qualquer outra atividade semelhante.

A consulta de crédito ganhou maturidade e a forma dos dias atuais depois que começaram a surgir os birôs de crédito, enormes bancos de dados e informações que contribuem – e muito – para combater um mal chamado inadimplência.

Qual é a importância da consulta de crédito para empresas?

A consulta e a análise de crédito de um cliente são coisas que andam de mãos dadas. Na verdade, uma antecede a outra.

Se fôssemos elencar um objetivo central desta etapa do ciclo de crédito seria a possibilidade real de conhecer a fundo o cliente e, principalmente, ter a garantia de que a relação de compra e venda será cumprida pela parte que adquiriu o benefício do crédito.

Pense bem! O sucesso a curto, médio e longo prazo de qualquer negócio está no fluxo contínuo que ocorre entre a quantidade de dinheiro que entra (pelas vendas) e sai (com as compras).

É nesse ponto que a importância da consulta de crédito para empresas se faz presente. Ela assinala o potencial que determinado comprador tem de ficar inadimplente a partir do seu histórico. Com base nesses dados, surge a oportunidade de tomar a decisão mais acertada e se prevenir contra os atrasos no pagamento.

Por meio da consulta, é possível saber também se o cliente tem algum débito em aberto com outras empresas — o que indica um sinal vermelho e requer atenção.

Assim, essa estratégia é fundamental para impedir que o setor de cobrança entre em ação e também para manter as finanças equilibradas. Afinal, a inadimplência causa ausência de saldo no caixa para pagar as contas do dia a dia, como compra de materiais, remuneração de fornecedores e pagamento dos colaboradores.

Mas não para por aí: a importância dessa prática ainda vai além. Ela é um instrumento para impedir que sua empresa seja vítima de uma fraude ou de um golpe. Se houver alguma inconsistência nos dados, automaticamente a equipe barra a concessão do crédito e evita a ocorrência de prejuízos significativos para o seu negócio.

Perceba que, diante desse contexto, fica claro que consultar o crédito é uma forma de evitar a inadimplência, ter uma boa gestão financeira e assegurar uma lucratividade mais alta no fim do mês.

Com o tempo, você também passa a compreender o perfil do comprador e pode alinhar as suas políticas de cobrança ao que é necessário.

Por exemplo: se você observar que determinado cliente tende a atrasar os pagamentos por esquecimento, pode informá-lo sempre um dia antes do vencimento para que ele pague o boleto em dia. Assim, você complementa a ferramenta de consulta com uma política eficiente e adequada à realidade do seu negócio.

Tipos de consulta de crédito

Existem diferentes tipos de consultas e disponíveis nos serviços de proteção ao crédito. A Assertiva, por exemplo, disponibiliza uma um leque enorme de informações não sensíveis que podem garantir uma análise completa do seu potencial cliente.

Entre os tipos de consulta de crédito, temos:

  • Consulta CPF: serve para ter um retrato completo de um cliente antes da concessão de crédito e é ótimo para relações B2C. É útil para detectar inconsistências de informações cadastrais, estimativa de gasto por indivíduo consultado com gastos esperados, score de propensão de pagamento, pendências e restrições financeiras.
  • Consulta CNPJ: instrumento fundamental nas relações B2B. Com o número do CNPJ em mãos é possível verificar restrições e pendências financeiras de outras empresas, score de propensão de pagamento, gasto estimado da outra empresa e limites de crédito, baseado em referência de negócio.
  • Consulta por Cheque: útil no combate a prevenção de fraudes e o retorno de cheques sem fundo. Através deste tipo de consulta é possível constatar a situação fiscal do documento. Para isto, basta ter chaves primárias como CPF e CNPJ, que os próprios sistemas de apoio à consultas retornam o emissor do cheque e o código CMC7 (no rodapé do cheque) útil para rastreabilidade do documento.
  • Consulta de protestos: protesto é a comunicação ao Cartório de Protestos de Títulos de que uma dívida não foi quitada. Uma pessoa física, ao ser protestada, fica impedida de realizar diversas operações, como abrir uma conta, entre outras.

Critérios para a liberação e concessão de crédito

Nós sabemos que a liberação de crédito ao consumidor é um fator muito importante para impulsionar as vendas de uma empresa. Isso porque apresentar alternativas para facilitar o pagamento do cliente é um convite para que ele feche negócio com você e não com algum concorrente.

Mas para que esse atrativo não se torne um grande problema para as suas finanças, antes de qualquer coisa, é essencial estabelecer uma política e critérios claros de concessão de crédito.

A partir disso, esse processo tende a se tornar muito mais seguro para os dois lados envolvidos: a empresa se previne da inadimplência e, consequentemente, protege a saúde financeira do cliente que não poderia arcar com tais parcelas.

Mas por onde começar a criar essa política? Quais são os principais critérios que devem ser analisados na hora de liberar ou conceder crédito? Veja abaixo!

Confirmação dos dados cadastrais

Para que o cliente consiga comprar à prazo, uma das principais exigências que a empresa pode fazer é conferir os dados cadastrais do mesmo. Quando falamos de pessoas físicas, esses documentos podem ser o CPF, RG, comprovante de residência e comprovante de renda. Já para pessoas jurídicas, os documentos são o CNPJ, o registro da empresa, restrições bancárias e faturamento.

Histórico de restrições no nome

As restrições cadastrais também são um ponto que merece destaque durante a consulta de crédito. Ao fazer essa análise é possível identificar se alguma pendência ou dívida foi deixada para trás pelo cliente que está querendo comprar da sua empresa.

Comprometimento da renda mensal

A partir do recolhimento do comprovante de renda, a empresa consegue avaliar a capacidade que aquela pessoa tem de pagamento mensal, além de prever o valor total com o qual ela poderá se comprometer.

O recomendado é que os valores das parcelas girem em torno de 20% ou 30% dos rendimentos totais.  

Análise do perfil do consumidor

Ao verificar o perfil de quem está solicitando o crédito, o processo se torna muito mais objetivo e é possível entender o comportamento dessa pessoa física ou jurídica perante o mercado com o qual se relaciona. Assim também fica mais fácil definir um perfil de cliente ideal para a sua empresa, aquele para quem você realmente deseja vender.

A ferramenta mais utilizada para isso é o Score de Crédito, e nós falaremos melhor sobre ele no tópico a seguir.

Depois de analisar cada um desses quesitos, além de conhecer mais a fundo o seu cliente, você poderá decidir quais as melhores condições para vender a prazo para ele.

O que é score de crédito?

O score de crédito é um dos principais dados obtidos ao fazer uma consulta do histórico de pagamentos do cliente. Esse indicador assinala o nível de segurança que sua empresa tem ao fazer negócios com determinado comprador. Porém, o que ele representa na prática?

Ele é uma pontuação derivada dos hábitos de pagamento e do relacionamento que o indivíduo tem com diversas empresas do mercado de crédito.

O score vai de 0 a 1000 pontos. Quanto mais alto for, maior será a probabilidade de quitação no vencimento. Portanto, esse indicador constrói uma reputação para a pessoa física ou jurídica.

Todos os brasileiros que já fizeram compras parceladas — inclusive por cartão de crédito — ou realizaram empréstimos têm um score definido, e esse número é levado em consideração pelas empresas na hora de consultar o histórico de consumo. Por ser um resumo da situação financeira de uma pessoa ou empresa, são consideradas diferentes variáveis, como:

  • índice de negociações;
  • faixas de atraso;
  • valor de prejuízo no mercado;
  • pagamento de dívidas com desconto;
  • restrições no nome do cliente.

Devido à sua importância, o score de crédito é utilizado em diferentes países como forma de analisar a viabilidade da transação, que pode ser de financiamento, emissão de cartões, compras parceladas, empréstimos e outras. No Brasil, esse também é um instrumento importante para empresários e comerciantes terem segurança na hora de vender a prazo.

Consulta de score

Nosso foco aqui serão as consultas de score em escala, geralmente adotadas por empresas que utilizam essa ferramenta para conceder crédito a pessoas físicas ou jurídicas com mais segurança, visando evitar problemas no futuro.

Nesse caso, a própria empresa realiza a análise a partir de uma plataforma específica para isso. Ao fazer a consulta, você tem acesso ao histórico de registros comerciais do possível cliente, que inclui:

  • inadimplência;
  • emissão de cheques sem fundo;
  • protestos judiciais;
  • ações de busca e apreensão;
  • participação em recuperação judicial ou falência de empresas, entre outras informações.

Além disso, há informações sobre dados cadastrais não sensíveis (como nome, endereço, entre outros), as restritivas e o histórico de consultas anteriores. Uma ferramenta mais completa ainda fornecerá outros dados, como:

  • inconsistências nas informações e possibilidade de fraudes;
  • identificação de pessoa falecida;
  • estimativa de gastos mensais do comprador;
  • limite de crédito sugerido a partir da análise econômica e financeira;
  • score dos últimos 12 meses e dos 3 meses anteriores;
  • status da Receita Federal;
  • telefones vinculados ao cliente conforme suas movimentações para fazer uma cobrança precisa, quando necessário.

Com todos esses dados em mãos, você protege seu negócio na hora de conceder o crédito. Ao mesmo tempo, evita perder oportunidades de venda e traça um plano ou uma linha de crédito mais condizente com o perfil do cliente.

Por exemplo: se ele tem um bom histórico de pagamentos, mas está com sua situação financeira comprometida no momento devido a vários parcelamentos, é possível pensar em uma alternativa de longo prazo.

Por sua vez, se o cliente apresenta atrasos frequentes, é melhor oferecer descontos para o pagamento à vista ou a quitação antecipada das parcelas.

Score de pagamento

Sua empresa também pode trabalhar com o score de pagamento, que identifica a propensão de um cliente quitar suas dívidas. Essa pontuação é determinada por meio de algoritmos de inteligência artificial com base em um modelo estatístico predeterminado.

Na prática, o que acontece é o mapeamento do comportamento do consumidor com a identificação de quem é inadimplente e dos clientes com maior dificuldade de cumprir os compromissos da nova dívida.

Essa informação é repassada por meio de um sistema que apresenta os resultados cadastrais pela consulta do CPF ou CNPJ do cliente. Com isso, você tem um processo dinâmico e preciso para o setor de cobrança.

Quais são os benefícios da consulta de crédito?

A análise do histórico de pagamento tem como objetivo garantir que sua empresa faça bons negócios e receba por todas as vendas parceladas, sem implicar problemas financeiros ou prejuízos para o caixa. Nesse contexto, outras vantagens são obtidas, como as que veremos abaixo.

Identificação dos maus pagadores

As pessoas que têm bom histórico de crédito podem passar por problemas e começar a atrasar os pagamentos. Da mesma maneira, os inadimplentes são capazes de gerar boas oportunidades ao sair da situação difícil.

Com a consulta de crédito, você analisa o comportamento dos clientes com o passar do tempo e identifica qualquer operação negativa, seja de um bom pagador que está em dificuldades, seja do mau que reincide nos atrasos. A partir disso, sua empresa pode adotar medidas protetivas, como reavaliar as condições de venda e o limite de crédito.

Lembre-se de que aqui está incluída a possibilidade de premiar os bons pagadores. Aqueles que já adquiriram algum produto ou serviço e mantêm um histórico positivo podem receber um brinde ou condições de pagamento facilitadas. Aproveite que é comum ao comprador solicitar algum desconto ou parcelamento e atrele essa vantagem à manutenção do histórico positivo.

Detecção de situação do CPF ou do CNPJ

A consulta de crédito tem como finalidade identificar a situação do CPF ou CNPJ do cliente. As informações são atualizadas e confiáveis. Por isso, permitem tomar decisões acertadas para melhorar a qualidade do crediário e das vendas realizadas.

Simultaneamente, você conhece o perfil do seu comprador. Ao fazer a análise e verificar que o nome da pessoa física ou jurídica está inserido no sistema de proteção ao crédito, você tem a oportunidade de saber onde a dívida foi contraída e o valor do débito.

Com essa informação em mãos, pode decidir se essa é uma situação pontual e passível de ser contornada por meio de uma condição diferenciada, por exemplo, ou se é melhor negar o crédito. Esse é o caso de uma pessoa que tem bom histórico de pagamentos, mas atrasou a parcela do carro uma ou duas vezes.

Esse contexto indica que o atraso foi algo pontual e que um alerta antes do vencimento ou a oferta de um desconto de 5% ou 10% para a quitação antecipada das parcelas pode evitar que a situação se repita.

Aumento das vendas

A consulta de crédito gera boas oportunidades. A partir delas, você identifica quais clientes são mais rentáveis para melhorar as condições de compra e os benefícios ofertados. Esse instrumento contribui para a fidelização dos consumidores que optam por adquirir no seu estabelecimento, e não na concorrência.

Prevenção de fraudes

Buscar a venda a qualquer custo, sem uma consulta de crédito adequada, pode expor o negócio a diversos riscos: um deles é o de fraude. Esse problema, dependendo da proporção, pode ser fatal para as finanças e o funcionamento da empresa. Por isso, ele precisa ser levado em consideração.

O uso de documentos falsos, cartões de crédito roubados, informações financeiras mentirosas, invasões cibernéticas, acesso a dados confidenciais de clientes ou até mesmo fraudes com o intermédio de um funcionário são algumas das situações que você precisa saber como evitar. Uma consulta de crédito bem feita é o primeiro passo para isso.

Com o auxílio da tecnologia e um banco de dados atualizado você conseguirá realizar uma análise minuciosa antes de vender a prazo para uma pessoa física ou jurídica que desconhece.

Construção de relacionamentos saudáveis com o cliente

A consulta de crédito realizada a cada compra do consumidor permite antecipar problemas e situações desagradáveis, que podem gerar cobranças.

Um exemplo é a inadimplência. Ao evitar essa situação, você ajuda seus clientes, porque muitos desconhecem as dívidas que têm e seus nomes são incluídos na lista de devedores por esquecimento ou displicência.

Quer saber como isso pode acontecer? Por exemplo, pela mudança de endereço. Ao trocar de CEP e esquecer de informar ao estabelecimento, as cobranças podem ser inviabilizadas, a depender dos dados de contato que o empresário tem.

O resultado disso é que as dívidas chegam ao endereço errado, acumulam-se e o cliente se torna um mau pagador, mesmo que isso não seja proposital.

Percebe como há diferentes situações a serem superadas? É por isso que o ideal é ser parceiro do cliente, e nunca vê-lo como uma ameaça às finanças do seu negócio. Um mau pagador pode ser recuperado, enquanto o bom é capaz de atrasar o pagamento.

Da mesma forma, alguém pode ter passado por uma situação pontual por esquecimento ou devido a uma crise específica.

Cabe ao setor de cobranças da sua empresa fazer a consulta de crédito, analisar as diferentes variáveis e, então, determinar o melhor caminho a seguir. Essa decisão deve ser embasada nas políticas definidas no negócio. Assim, fica mais fácil saber o que fazer nas mais variadas situações.

Como a consulta de crédito pode apoiar os processos da minha empresa?

A consulta de crédito é uma ferramenta com aplicações variadas. Ela deve ser utilizada sempre que algum tipo de crédito for concedido. No entanto, é comum pensar que isso se restringe somente a empréstimos de dinheiro e vendas a prazo, certo?

Saiba que sua visão está equivocada. Existem muitos outros casos que demandam o uso desse instrumento.

Quer saber quais são eles para oferecer mais segurança para sua empresa e aproveitar o máximo de oportunidades que surgirem? Então, confira a seguir.

Aprovação de locatários em imobiliárias

A relação entre locador, locatário e imobiliária é de longo prazo. Aprovar o aluguel para um mau pagador é um risco grande, já que a empresa pode ter um prejuízo significativo. Porém, a consulta de crédito traz outros benefícios nesse caso.

Ao fazer a análise, é fácil verificar o perfil do cliente e seu histórico de consumo para encontrar imóveis que se ajustem às suas necessidades.

Tenha em mente que muitas pessoas desejam um imóvel irreal, com um valor mais alto do que aquele que podem pagar. Cabe ao corretor analisar as possibilidades e, educadamente, recomendar locações mais condizentes com os hábitos de consumo e orçamento do locatário.

Lembre-se ainda de fazer a consulta de crédito do fiador, quando existir. Ele será o responsável pelos pagamentos, caso o locatário deixe de efetuá-los no vencimento. Por isso, é fundamental se certificar de que ele também é um bom pagador.

Vendas a prazo no varejo

A aplicação mais comum dessa ferramenta é no segmento de varejo. A consulta de nome sujo é fundamental para evitar a inadimplência e potenciais fraudes ou golpes. Quando o indivíduo está nessa lista, indica que há pendências financeiras e que é uma má ideia conceder crédito a ele.

É importante destacar que a verificação de nome sujo é uma das abrangidas pela consulta de crédito.

Ao fazer essa análise com diferentes informações, você evita problemas com o financeiro ao tomar decisões embasadas em dados, como os de cadastro do seu estabelecimento, aqueles dos órgãos de proteção ao crédito e o histórico de compra do consumidor.

Locação de imóveis com seguro-fiança

O seguro-fiança é utilizado quando o potencial locatário não tem fiador. Nesse caso, ele paga um valor predeterminado — entre duas e três vezes o montante referente a um mês — por uma apólice de seguro. Se essa alternativa não for acionada, o contratante pode ter seu dinheiro de volta, a depender do contrato firmado.

O que isso tem a ver com a consulta de crédito? Simples: o seguro-fiança costuma ser pago em 12 vezes para facilitar o pagamento e sua renovação.

Apesar de existir uma análise feita pelo banco ao qual a seguradora está atrelada, vale a pena fazer essa verificação para diminuir os riscos da operação.

Concessão de financiamentos e empréstimos

A pessoa que precisa de dinheiro rápido ou deseja comprar um bem de valor alto e não tem a quantia necessária costuma recorrer aos empréstimos e aos financiamentos. Essas modalidades são bastante comuns, mas exigem uma análise de crédito aprofundada para evitar prejuízos.

O objetivo é verificar a capacidade do cliente de honrar os pagamentos e estabelecer um relacionamento de longo prazo. Conforme a dívida é paga, podem ser oferecidas novas condições e linhas de crédito diferenciadas, que atenderão às necessidades do consumidor.

Fechamento de consórcios

Essa é uma modalidade na qual é firmado um contrato com o cliente a partir da escolha de uma carta de crédito.

O consumidor define o valor total do bem e as condições de pagamento a partir das alternativas previamente definidas. O pagamento é feito mensalmente e parte da ideia de economia colaborativa.

Isso significa que a inadimplência de um participante prejudica todos os outros. Nessa hora, consultar o crédito se torna indispensável, já que reduz as chances de risco nesse tipo de transação.

Sendo assim, a consulta de crédito pode ser utilizada em todos os tipos de negócio que envolvam riscos na negociação. Isso abrange a maioria das empresas, já que elas dependem de vendas e do pagamento em dia para equilibrar sua situação financeira.

Riscos que a consulta de crédito pode evitar

Essencial para qualquer negócio é manter uma gestão financeira eficaz e segura. Sem isso, dificilmente um empreendedor consegue sobreviver ao mercado cada vez mais competitivo e tecnológico.

Como é impossível deixar um profissional cuidando 24 horas por dia e manualmente dessa parte do negócio, a tecnologia entra em ação para ser uma aliada importante no processo de automatização de consulta de crédito.

Abaixo, separamos alguns riscos que a consulta de crédito pode ajudar a evitar na sua empresa:

  1. Inadimplência de clientes: a inadimplência é um problema para as empresas em geral e pode representar um custo alto para as companhias. No caso, a análise de crédito pode ajudar a vender com mais segurança.
  2. Falta de pagamento de fornecedores e funcionários: uma vez que sua empresa acabou mergulhando em uma onda de inadimplentes e deixou de receber dos clientes, é provável que os funcionários e fornecedores também serão prejudicados. Sem capital para arcar com seus compromissos básicos, como seu negócio irá prosperar?
  3. Falência da empresa: em alguns casos mais específicos, há empresas que chegam ao limite e o pedido de falência é a única saída para o proprietário. Para evitar isso, a gestão financeira da companhia precisa estar controlada, justamente para que os problemas citados acima não ocorram, evitando um fechamento precoce do negócio. Assim, o investimento feito em consulta de crédito será de grande valia.

Consulta de crédito e sua relação com os negativados

Apesar de estarem com o nome sujo na praça, os negativados também podem pedir empréstimo ou cartão de crédito. Porém, como essas pessoas estão inadimplentes a avaliação financeira precisa ser redobrada antes da liberação de qualquer tipo de crédito.

Para isso, você vai precisar dos serviços de uma empresa que fará toda essa análise de risco, apresentando, por exemplo, o histórico de dívidas pagas e não pagas de um cliente. Assim é possível entender e analisar se vale a pena ou não dar mais uma chance a esse negativado.

Mas antes, é preciso entender que, em grande parte das vezes, as pessoas ou empresas não desejam ter dívidas e é importante que o gestor saiba quais são os principais motivos de inadimplência no Brasil:

  • Desemprego: o desemprego é um dos vilões do cidadão brasileiro quando o assunto é inadimplência. O Brasil registrou em março de 2019 uma taxa de 12,4% de desempregados, ou seja, mais de 13 milhões de brasileiros estão sem trabalho.
    A perda do emprego incide diretamente na falta de pagamento de seus compromissos já que o cidadão não tem mais a renda que tinha antes para quitar em dia suas dívidas.
    Segundo a pesquisa realizada pelo CNDL e SPC Brasil, o brasileiro leva em média 14 meses para se recolocar novamente ao mercado de trabalho. Este tempo é o suficiente para as pessoas se tornarem inadimplentes. Mesmo que elas peguem o seguro-desemprego, as parcelas do mesmo não passam de 6 meses.
  • Falta de educação financeira: outro problema do nosso país é a educação financeira. A falta de um planejamento financeiro básico é um dos motivos que levam muitas pessoas à inadimplência.
    Ao receber o salário no começo ou fim de mês, alguns profissionais não sabem o que fazer com o dinheiro e acabam gastando mais do que deveriam. Com isso, atrasam outros pagamentos importantes e se tornam negativados.
  • Salário atrasado: recentemente o Brasil passou por uma grave crise econômica e isso refletiu obviamente no mercado de trabalho. Muitas empresas acabaram atrasando os vencimentos dos trabalhadores, deixando-os sem a renda para quitação de suas dívidas.

Por que conceder crédito à negativados?

Conceder crédito aos negativados pode ser um problema para muitas empresas do setor financeiro. Porém, para essas pessoas inadimplentes, em alguns casos, a concessão de crédito pode ser a solução parcial ou até total de suas dívidas.

Quando uma pessoa está com nome sujo é bem comum que os bancos em geral barrem o crédito, até porque esses indivíduos já mostraram que são ou foram mal pagadores.

Mas existe também um outro lado: ao conceder crédito aos negativados, o correspondente bancário oferece a oportunidade dessa pessoa se reerguer na vida organizando sua situação financeira.

Além dessa oportunidade de poder resolver os problemas pessoais dos negativados, há também um claro benefício à economia do país como um todo. Com a possibilidade de resolverem suas dívidas, essas pessoas poderão voltar a consumir como antes, aquecendo positivamente o mercado.

Como consultar o seu consumidor?

A consulta ao consumidor depende dos dados de um bureau de crédito, empresa especializada que diagnostica e analisa o risco de vender ou emprestar dinheiro para determinado indivíduo. O processo é realizado por CPF ou CNPJ.

No entanto, é preciso ir além. Apenas fazer a consulta sem ter uma estratégia definida é uma atitude arriscada e pode implicar custos elevados. O ideal é adotar boas práticas para implementar uma análise acertada. Confira as principais a partir de agora!

Identifique a natureza do negócio

As transações têm características diversas. Primeiramente, elas podem ser de crédito ou de financiamento.

A primeira acontece quando há a cessão de uma quantia específica para que a pessoa ou empresa use como desejar. A segunda é quando o montante é concedido para a compra de um bem específico, como casa ou carro.

Além disso, dentro dessas categorias há outras variações. O financiamento de um terreno, por exemplo, costuma ser mais seguro que o de um veículo, porque o primeiro pode ser tomado como garantia, enquanto o segundo tende a perder valor.

Verifique o perfil do usuário que deseja o crédito

As informações de perfil são compostas por diferentes variáveis, como score de crédito, a própria consulta, a validação dos dados cadastrais, o acompanhamento de atualizações e outras. Todas elas indicam quais condições são as melhores para o usuário.

Com uma ferramenta adequada, você recebe alertas de identidade e de óbito, em caso de inconsistências, e o Índice de Relacionamento no Mercado, que demonstra a relação dos clientes a partir de suas movimentações e pesquisas específicas.

Outra informação relevante é o gasto estimado, que assinala os valores já empregados mensalmente com água, luz, moradia, gás, educação, transporte, telefone/internet e saúde.

Use ferramentas complementares

A consulta de crédito é a ação mais rápida e simples para decidir sobre a concessão de valores. Por meio dela, você descobre débitos e pendências financeiras, além do score do consumidor e da propensão de pagamentos. Porém, vale a pena utilizar outros instrumentos, como:

  • validação de dados cadastrais: confirma as informações do consumidor e fortalece a análise de crédito;
  • comprovação de renda: reforça o salário do consumidor e outras fontes de recebimento. É importante complementar com outras variáveis, como indicação de empregadores, participação em empresas, local onde mora e Imposto de Renda;
  • comprometimento da renda: permite saber qual é a capacidade de pagamento do comprador. O ideal é que esse índice fique entre 20% e 30%;
  • acompanhamento contínuo: possibilita identificar mudanças de comportamento, nos status de inadimplência e até nos dados cadastrais para evitar imprevistos.

Dentro desse escopo, vale a pena contratar uma ferramenta completa, que permita a análise de pessoas físicas e jurídicas. As informações são basicamente as mesmas, mas, no segundo caso, estão relacionadas à situação da empresa. Por isso, são apresentados dados referentes a:

  • ações judiciais;
  • risco de crédito PJ;
  • faturamento presumido;
  • quadro social com informações de crédito e dados cadastrais dos sócios;
  • gasto estimado;
  • limite de crédito.

O Crédito Mix é uma plataforma indicada para ambas as análises e traz todas as informações listadas neste post. O acesso é feito de forma online e você ainda pode verificar outras soluções para aumentar a garantia das transações realizadas no seu negócio.

Assim, fica claro que a consulta de crédito é uma atividade relevante e que diminui os riscos de inadimplência.

Porém, ela traz vários outros benefícios, que vão da construção de um relacionamento saudável com o cliente até a possibilidade de evitar golpes e fraudes. Ao adotar essa prática, você terá mais chance de sucesso nas transações e seu negócio fará operações muito mais direcionadas.

Quer fazer negociações cada vez mais eficientes?

E então, ficou interessado em saber mais sobre a consulta de crédito? Clique aqui para entrar em contato conosco e veja com nossos especialistas como as soluções Assertiva podem impulsionar o seu negócio!

Deixe uma resposta