Entenda a importância da consulta de cheque

A consulta de cheque faz parte das boas práticas comerciais, afinal, pode evitar possíveis casos de inadimplência. Para os lojistas, isso é ainda mais importante — além do risco, essa é uma forma de pagamento que quase não é mais usada.

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) fez uma pesquisa mostrando que, entre 1995 e 2017, o número de compensações caiu 82,7%. Só que, mesmo com a redução, o número de consumidores que usam seus talões ainda é significativo. Sendo assim, é fundamental desenvolver processos de consulta eficientes para minimizar o prejuízo dos cheques devolvidos.

Para saber como fazer isso, continue a leitura e confira as nossas dicas!

Faça a consulta por CPF e CNPJ

O primeiro passo para evitar a inadimplência é fazer a consulta de cheque pelo CPF (no caso de pessoas físicas) ou CNPJ (pessoas jurídicas) do titular. Com o auxílio de ferramentas desenvolvidas para localizar potenciais devedores, você poderá saber, por exemplo, se um cliente já deixou de quitar algum débito.

É importante destacar que quem é responsável por controlar a emissão e a compensação de cheques no Brasil é o Banco Central, por meio do Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundos (CCF). Por outro lado, uma pesquisa apenas no CCF pode não ser suficiente, já que um mesmo número de documento pode revelar outras pendências.

Quanto mais informações você tiver sobre uma pessoa, mais precisa será sua análise de crédito, concorda? Por isso, é muito importante que a sua empresa faça uso de outros tipos de pesquisa mais completas, especialmente quando for trabalhar com vendas por meio de cheques.

Verifique os dados do cliente

O CCF aponta que, normalmente, existem três motivos para a devolução de cheques:

  1. Cheque sem fundos (2ª apresentação)
  2. Conta encerrada
  3. Falsificação

Perceba que nem sempre um cheque deixa de ser compensado por falta de fundos. Isso nos leva a outro tipo de consulta, igualmente importante para reduzir a incidência de cheques “voadores”: a verificação de dados.

Em primeiro lugar, só aceite pagamentos com cheque se o cliente apresentar o seu documento de identificação original. Com esse comprovante em mãos, você deverá comparar a assinatura com a que consta na folha do cheque, além de analisar o documento em busca de possíveis sinais de falsificação.

Aliada à consulta pela ferramenta de análise de crédito, a confirmação de dados ajuda a evitar clientes que não tenham histórico de inadimplência. Sua utilidade é proteger o negócio de toda ação suspeita.

Verifique o CMC7

Cada caso é um caso. Há clientes que fazem compras recorrentes e há outros que jamais compraram na sua empresa. O que fazer quando aparece uma pessoa desconhecida, disposta a fazer uma compra de valor elevado com cheque e você não tem tanta informação sobre ela?

Além de analisar crédito, há outras medidas adicionais que podem ser adotadas. Uma delas, nem sempre utilizada, é a leitura do CMC7, uma espécie de código de barras que informa o número da conta e a agência do titular do talão.

O CMC7 é impresso na parte de baixo de cada folha e traz uma sequência numérica que deve coincidir com a que está na parte de cima, na qual constam os dados bancários. Qualquer diferença nesses números pode revelar uma tentativa de adulteração. Nesse caso, melhor não fechar negócio!

Certifique-se de que o preenchimento está correto

Embora possa parecer um procedimento sem importância, a verificação dos valores preenchidos é essencial para garantir a cobertura do cheque emitido.

No campo em que o valor é descrito por extenso, oriente o comprador a utilizar letra de fôrma, para que não restem dúvidas sobre a quantia. Além disso, esse valor deverá estar naturalmente alinhado ao que é informado na parte superior, em versão numérica.

Se acontecer de o valor por extenso não ser legível o bastante, o cheque pode ser devolvido. Isso acontece porque a legislação privilegia a informação escrita em vez da numérica. Em outras palavras, tudo deverá estar alinhado para evitar qualquer tipo de problema na hora da conferência bancária.

Estipule regras para vendas no cheque

Lembre-se de que aceitar pagamento com cheque não é mau negócio, apenas exige mais cuidados, já que os riscos tendem a ser mais recorrentes nesse processo. Ao contrário dos cartões, que só podem ser utilizados com senha, um cheque pode ser emitido com uma assinatura falsa.

Por isso, a consulta de cheque será a garantia de que a sua empresa receberá o valor preenchido na data acordada e sem a necessidade de uma segunda representação.

Para a sua segurança e também como sinal de que você valoriza os bons pagadores, jamais deixe de adotar as medidas preventivas nesse tipo de venda.

Conte com as ferramentas certas

Imagine ter que fazer tantos tipos de consulta manualmente ou recorrendo a cada órgão de controle de forma individual? Seria muito trabalhoso e consumiria muito mais tempo e recursos da sua empresa, não acha?

Tenha em mente que a hora do pagamento pode ser decisiva no processo de fidelização do cliente! Passar a impressão de que ele só é bem tratado até a hora de pagar pode causar uma sensação ruim nas pessoas.

Para garantir máxima eficiência e rapidez na hora de consultar um CPF ou CNPJ em vendas no cheque, você precisa do apoio da tecnologia. Como temos capacidade limitada de realizar cálculos e analisar friamente uma situação de risco, nada melhor do que confiar nas ferramentas certas para ter bons resultados.

A Assertiva pode ajudar você a fazer essas análises com grande precisão. Aumente a confiabilidade em suas vendas, faça a consulta de cheque com soluções feitas sob medida e lucre mais!

Ficou interessado? Saiba como podemos ajudar!

Se você quer evitar a inadimplência, temos ferramentas que podem ajudar a sua empresa a evitar riscos. Para conhecer algumas delas, clique aqui e entre em contato conosco! Teremos prazer em apresentar nossas soluções e fazer uma demonstração para que a sua empresa conquiste os melhores resultados!

Deixe uma resposta