7 maneiras de melhorar a área de fraude cadastral da sua empresa

7 maneiras de melhorar a área de fraude cadastral da sua empresa
7 maneiras de melhorar a área de fraude cadastral da sua empresa

Como acontece com frequência, o que se torna popular também vira alvo de criminosos — por isso, as áreas de fraude cadastral estão em pleno crescimento dentro das empresas, dado a ampla migração das pessoas para o ambiente digital.

Compras, bancos, transportes, praticamente tudo hoje já fazemos por meio de sites e apps. Esses sistemas requerem que façamos cadastros, com nossos dados pessoais, com a finalidade de comprovar identidade para validar nossas interações.

É aqui que surge o problema: pessoas com más intenções já descobriram um sem-número de métodos para fraudar esses processos, conseguindo realizar cadastros, compras e todo tipo de transação no lugar de outras pessoas.

Diante de tudo isso, convidamos você a entender melhor quais são os principais desafios que as empresas enfrentam hoje na prevenção contra fraudes cadastrais, bem como a conhecer as principais boas práticas para melhorar este quesito. Vamos lá?

Principais desafios da área de fraude cadastral

Uma das principais questões que envolvem os processos de prevenção à fraude é o tempo — algo de que você (empresa) precisa, mas que seu cliente não tem.

Tudo isso porque as etapas básicas das atividades desempenhadas pela área de fraude cadastral, que são análise de documentação e a validação das informações cadastrais, tendem a tomar mais tempo e fazer com que o cliente espere para poder usufruir do acesso aos serviços.

Além disso, a gestão de riscos neste nível exige documentação específica e, em alguns casos, ações extras por parte dos pretendentes a clientes. E estes historicamente não ficam contentes com essas exigências.

O que decorre disso é uma necessidade (e um grande desafio) de educar o cliente sobre a importância dessas ações e garantir que tudo está sendo feito em prol da segurança online.

Segmentos que os fraudadores mais atacam

Os setores que mais “dão trabalho” para os sistemas antifraude são aqueles que lidam diretamente com dinheiro: bancos, empresas de concessão de crédito, corretoras de investimentos e até mesmo instituições gestoras de benefícios.

Mas será que são somente essas empresas que sofrem? Claro que a resposta é não! Vamos conhecer outros segmentos que os fraudadores também gostam de atacar?

Empresas de locação

Este é um clássico: a pessoa faz o cadastro com dados falsos, recebe o equipamento locado e não devolve na data especificada. Aliás, não devolve nunca mais — e nem paga pelo serviço!

Empresas de telecomunicações

Cadastros falsos para contratação de serviços de telefonia celular, TV por assinatura e internet banda larga também são bastante comuns. Além de receberem aparelhos e não devolverem nunca, os criminosos se utilizam desses meios de comunicação para propagar e cometer ainda mais delitos.

Empresas de serviços via aplicativos

Essas empresas têm implantado muitas medidas “pesadas” de validação cadastral, principalmente em função da quantidade de crimes cometidos em serviços de transporte de passageiros e entregas. Muitos se aproveitam da proximidade com o cliente para cometer outros crimes, como assaltos.

7 dicas para identificar e evitar fraudes cadastrais

Existem algumas boas práticas que, quando implantadas no dia a dia de uma organização, contribuem de maneira essencial para a identificação, correção e prevenção de fraudes cadastrais. Confira:

1. Análise de CPF ou CNPJ

Trata-se de uma medida “de entrada” para que se comece a compor o cenário de confiabilidade ou não de um determinado cliente. Em análises de CPF ou CNPJ pode-se encontrar situações como restrições cadastrais, dívidas e até mesmo indícios de falsificação e clonagem.

Aliás, analisar com muito cuidado toda a documentação do futuro cliente, sendo este pessoa física ou pessoa jurídica, é parte dessa etapa tão importante do processo de prevenção contra fraudes.

2. Manter bancos de dados sempre atualizados

A prevenção contra fraudes cadastrais lida com um ativo muito importante: dados. São quantidades imensas de informações sobre pessoas e empresas que, com o tempo, perdem sua eficiência por conta da desatualização.

Pessoas mudam de endereço, de emprego, de telefone e de e-mail. Empresas também podem ter alteradas muitas de suas informações básicas. Eis aqui a importância de se manter os bancos de dados sempre atualizados, para que a identificação de fraudes cadastrais seja eficiente.

3. Manter sistemas contra fraudes cadastrais atualizados

Ainda na questão da atualização, dessa vez falaremos dos sistemas. Uma vez instalados e implantados, sistemas de verificação e autenticação de dados e documentos funcionam muito bem, mas sua eficácia depende da atualização constante.

Mas o que muda, nesses casos? Criminosos estão sempre desenvolvendo novos métodos de crimes virtuais, cada vez mais elaborados, justamente para burlar esses sistemas antifraude.

4. Fazer investimentos em tecnologia e treinamento

Existem muitas soluções no mercado para ajudar a sua empresa a se prevenir contra fraudes cadastrais. O ideal é que você invista naquelas que são reconhecidas e que atendam às necessidades de sua operação, principalmente nas especificidades.

Ao mesmo tempo, é também importante investir em treinamento de pessoal. Uma equipe com conhecimento e bem alinhada em diretrizes de segurança contra fraudes é um enorme avanço na busca pela conformidade cadastral.

5. Promover o monitoramento constante das operações

A partir de um determinado porte, empresas passam a contar com diversos setores, cada qual com seus processos e particularidades. A prevenção contra fraudes passa obrigatoriamente por um olhar bem atento a esses processos e à integração entre times.

Assim, vale implantar práticas de monitoramento de todos esses processos, com atenção especial para sistemas de automação (verificar logs de erros e possíveis brechas) e para fluxos de armazenamento de dados em serviços de nuvem (assegurar a integridade e confiabilidade destes sistemas).

6. Implantar política de punições contra fraudadores

Se a fraude cadastral parte de dentro da própria organização, não há ação a ser tomada que seja diferente de demissão por justa causa. Afinal, o colaborador não apenas cometeu um crime, mas também atuou contra a própria empresa.

E, claro, é imprescindível que sejam tomadas as medidas judiciais cabíveis nesses tipos de casos. Tais práticas servem de punição exemplar para que outras pessoas não se encorajem a proceder de maneira criminosa dentro ou fora do ambiente corporativo.

7. Estipular um calendário de auditorias

Desenvolver um projeto de auditorias recorrentes — inclusive com um cronograma bem definido — é prática muito bem vista pelo meio corporativo, inclusive pelo mercado.

Algo a se destacar neste ponto é que tais auditorias devem acontecer não apenas quando a empresa passará por mudança ou que tenha sido registrada alguma ocorrência, e sim de maneira independente e constante. Ah, e de preferência por um agente externo!

Você conhece algum sistema contra fraude cadastral?

Falamos muito neste artigo sobre sistemas antifraude e qual a importância de se implantar um recurso deste tipo em uma empresa. Trata-se de tecnologia fundamental para o bom andamento dos processos e manutenção da confiabilidade dos serviços prestados.

Nesse sentido, propomos a você aqui a leitura de um artigo que pode desenvolver melhor essas informações. Clique no link e saiba por que investir em um sistema antifraude e como escolher a melhor solução do tipo para a sua empresa.

Você também pode gostar