Garantias locatícias: como escolher a melhor modalidade?

Garantias locatícias: como escolher a melhor modalidade?

Na hora de estabelecer e redigir um contrato de locação é comum citar cláusulas que dizem respeito às garantias locatícias, que funcionam como uma proteção ao proprietário do imóvel caso o inquilino venha a faltar com o compromisso de pagamento.

Existem diferentes modalidades de garantias e cada uma delas possui vantagens distintas para o locatário, para o locador e também para a imobiliária. Neste artigo vamos abordar todas elas, explicando suas particularidades, seus benefícios e seus pontos negativos.

Lendo este conteúdo será possível analisar a que mais se adequa à sua realidade de mercado e decidir qual delas poderá ser aplicada na sua imobiliária. Confira!

Quais são os principais tipos de garantias locatícias?

De acordo com a Lei do Inquilinato (Lei Nº 8.245) cabe ao locador optar e exigir do locatário uma das garantias locatícias previstas. Cada contrato permite apenas uma modalidade que pode ser escolhida.

É responsabilidade da imobiliária, que faz o intermédio nessa relação, garantir que ambas as partes estejam cientes das condições e atribuições que cabem a cada uma delas.

Conheça abaixo as principais categorias e entenda as vantagens e desvantagens que elas têm:

Fiador

Essa é a modalidade mais adotada pelas imobiliárias e, nela, o locatário do imóvel deve apresentar uma terceira pessoa que será responsável pelas despesas previstas no contrato de locação, caso as obrigações de pagamento não sejam cumpridas por ele. Assim, antes de serem aprovados, tanto o inquilino quanto o fiador serão submetidos à uma análise de crédito.

Em especial, no caso do fiador, é exigido que o mesmo comprove que não possui nenhum tipo de restrição em seu nome, possua renda igual ou superior a 3 vezes o valor do aluguel e que possua um imóvel próprio na mesma cidade na qual a locação está sendo feita.

  • Vantagens

Para o locatário, a principal vantagem está no fato de ser uma modalidade acessível e de não exigir que ele realize um investimento logo de cara.

Já para o locador e para a imobiliária, o contrato com fiador representa uma chance mais baixa de inadimplência. Isso, claro, se a análise de crédito for feita da maneira correta.

  • Desvantagens

Por ser uma situação desconfortável, não é tão simples assim encontrar alguém que tope ser fiador de um imóvel. Além disso, a burocracia é grande e são solicitados vários documentos do possível fiador e do seu cônjuge.

Outro ponto negativo que deve ser considerado pelas imobiliárias é que, mesmo que a análise cadastral seja feita antes da formalização do contrato, imprevistos posteriores podem acontecer, como falência, desemprego ou até morte do fiador. Nesses casos, o locador pode não conseguir receber a dívida.

Seguro fiança

Diferentemente da modalidade anterior, aqui o futuro inquilino contrata uma apólice de seguro para garantir o pagamento do aluguel – e outros encargos – caso aconteça algum imprevisto financeiro. É como se a seguradora fosse a fiadora do locatário.

Os valores variam de acordo com a seguradora escolhida, que realiza a análise cadastral, e a apólice tem o prazo de um ano. Depois desse período é preciso fazer a renovação.

  • Vantagens

Para todos os lados, essa é uma das opções mais vantajosas. Além do locatário não precisar encontrar um fiador, a burocracia é bem menor e o processo torna-se mais rápido. Todos os alugueis atrasados, encargos e danos ao imóvel também estarão garantidos pela seguradora.

  • Desvantagens

Para o inquilino, a única desvantagem está no fato de ter que pagar para a seguradora e não ter a possibilidade de receber o dinheiro de volta no fim da apólice.

Já o locador e a imobiliária devem estar atentos aos prazos de sinistro, uma vez que perdê-lo pode representar a perda da garantia.

Depósito caução

Esse tipo de garantia locatícia corresponde a um depósito equivalente a 3 vezes o valor do aluguel, que deve ser dado no momento da locação. Bens móveis e imóveis também podem ser oferecidos como caução.

Ao final do contrato, esse dinheiro ou bem é devolvido para o inquilino caso não haja nenhuma pendência financeira e nenhum dano no imóvel.

  • Vantagens

A vantagem para o locatário está no fato de não ser um investimento inicial tão alto e também de serem aceitos bens móveis, como carro, televisão, entre outros.

Para o locador, caso a garantia seja um outro imóvel, pode ser considerada como uma garantia real, já que estará averbado no registro do imóvel que o mesmo está garantido uma locação.

  • Desvantagens

Para o proprietário e para a imobiliária as desvantagens são muitas e, por isso, quase ninguém aceita essa garantia. Há uma dificuldade e uma limitação de receber caso ocorra a inadimplência. Isso porque os bens móveis se desvalorizam com o tempo e 3 vezes o valor do aluguel é considerado pouco se comparado à demora de solicitar e entrar com uma ação de despejo.

Título de capitalização

Quando falamos de título de capitalização é comum lembrar dos sorteios e premiações oferecidos por várias empresas utilizando esse nome. Mas o que isso por ter a ver com as garantias locatícias para contratos de locação?

Títulos de capitalização adquiridos em bancos podem ser utilizados como uma espécie de caução para a locação de imóveis. Caso o inquilino fique inadimplente, o proprietário pode solicitar o resgate do título como forma de quitar os débitos.

Caso o contrato de locação acabe e o locatário tenha cumprido todas as suas obrigações financeiras, é possível reaver toda a reserva de capitalização em valores atualizados.

  • Vantagens

Além de ser mais ágil e menos burocrática, o inquilino não precisa se preocupar com o fiador e também não perde dinheiro, uma vez que pode resgatar o valor no fim do contrato. Quando falamos do proprietário e da imobiliária, a grande vantagem está na segurança que essa modalidade pode trazer se o título representar, por exemplo, 10 vezes o valor do aluguel.

  • Desvantagens

A desvantagem está no fato do locatário precisar de um capital de giro muito grande para aderir ao título e do locador precisar agir muito rápido no caso de uma eventual cobrança, já que o valor é limitado.

Sem garantias

Apesar de ser uma prática permitida pela Lei do Inquilinato, alugar um imóvel sem garantia não é indicado para qualquer caso. Geralmente isso ocorre quando o locatário é um banco, um órgão público ou até mesmo grandes empresas. Para casos menores e mais comuns, uma análise muito criteriosa deve ser feita.

  • Vantagens

Para o inquilino é a melhor das opções, uma vez que ele mesmo é o garantidor do pagamento, não precisando buscar um fiador e nem disponibilizar um recurso financeiro inicial. Para o locador e para a imobiliária a única vantagem está na possibilidade de entrar com uma ação de despejo com pedido de liminar.

  • Desvantagens

A principal desvantagem é o simples fato de locador e imobiliária não terem nenhum tipo de garantia caso o locatário venha a faltar com seus compromissos financeiros. O risco e a insegurança são muito grandes e o prejuízo pode ser maior ainda.

Clique aqui e baixe o e-Book "Lei do Inquilinato: tudo o que o corretor imobiliário precisa saber!"

Como escolher a melhor garantia locatícia para os seus contratos de locação?

Como gestor de uma imobiliária é importante entender quanto cada uma das garantias pode representar na carteira de imóveis de você administra.

Além disso, para qualquer uma delas, e independente de qual for a sua escolha, é importante realizar uma análise de crédito preventiva a fim de evitar os casos de inadimplência.Para saber mais sobre isso, clique aqui e confira dicas de como prevenir a inadimplência e cobrar os devedores da sua imobiliária!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar