Como fazer análise de crédito e reduzir prejuízos?

Como fazer análise de crédito e reduzir prejuízos?

O prejuízo com concessão perigosa de crédito é uma realidade para qualquer tipo de empreendimento. Seja nos bancos e financeiras, no comércio varejista, nas concessionárias de automóveis, nas imobiliárias, na indústria… Empresários de todos os setores já tiveram problema com devedores (clientes e fornecedores) que sumiram do mapa sem quitar suas dívidas.

E deixar de receber pode ser bastante perigoso, principalmente para pequenos e médios negócios.

No entanto, apesar do risco constante, a adoção de certos procedimentos é capaz de diminuir significativamente o prejuízo sem atrapalhar as transações e as vendas. Descubra como é feita a análise de crédito e previna-se de prejuízos.

Análise de Crédito de Pessoa Física

Todo vendedor quer ultrapassar suas metas e vender o máximo possível, certo? Mas no entusiasmo de fechar um contrato, muitas vezes vacilam na avaliação da capacidade do cliente de honrar o pagamento, aumentando o risco de inadimplência.

Isso é ainda mais importante se considerarmos que nos últimos anos diversas lojas e empreendimentos abriram um braço financeiro de atuação. As Lojas Renner, por exemplo, tem o cartão Renner, assim como o supermercado Carrefour e algumas concessionárias de carros oferecem um cartão exclusivo de empréstimo e financiamento.

A ideia é vantajosa para a empresa e para o cliente, mas se o crescimento das vendas não for acompanhado pelo aumento nos valores de transação, ou seja, rendimento efetivo, está na hora de reavaliar o sistema.

Antes de aprovar um empréstimo, crédito ou parcelamento, é fundamental realizar uma análise de crédito do CPF do consumidor. Isso permite descobrir se o mesmo tem histórico de utilizar cheque sem fundo, se está com imóveis penhorados e outros detalhes que dão sinais sobre as chances de pagar ou não a conta.

A prática pode ser realizada de forma manual, por meio da consulta a algumas instituições, ou de maneira rápida e automatizada, como no sistema da Assertiva de consultas online de crédito sobre pessoas e empresas com informações nacionais.

Mas atenção para a documentação do cliente: os funcionários devem ser treinados para confirmarem a veracidade dos documentos fornecidos. Além disso, deve-se fazer o preenchimento do cadastro, que inclui nome, RG, CPF, endereço, local de nascimento, nome dos pais, nome do cônjuge e referências pessoais e profissionais. Em alguns casos, também é pertinente solicitar comprovante de residência e de renda.

As facilidades para o aumento do crédito ou do parcelamento só devem ser oferecidas a clientes com histórico de relacionamento – e jamais aos marinheiros de primeira viagem. Outra prática protetiva é a emissão de nota fiscal, que além de obrigatória ainda pode ser útil em processos, pois comprovará que a venda realmente ocorreu.

Análise de Crédito de Pessoa Jurídica

No caso de clientes corporativos, há outras práticas e dicas a serem consideradas.

Nem sempre uma ficha limpa, por exemplo, significa que o empreendimento irá honrar com as suas dívidas. Da mesma forma, uma dificuldade financeira pontual deve ser analisada a partir de um panorama amplo, e não como fator determinante para taxar o fornecedor/cliente como caloteiro.

Por isso, os serviços de consulta ao crédito são fundamentais nas transações comerciais, principalmente quando é possível ter acesso ao histórico da empresa. Aproveite e consulte também o perfil dos sócios do empreendimento. Só assim pode-se realizar uma análise eficiente de risco.

E quando um cliente com histórico duvidoso fizer um pedido grande, é importante avaliar a proposta antes de aceita-la por impulso, principalmente pequenas e médias empresas. Em alguns casos, é até mais interessante (e prudente) oferecer um desconto para pagamento à vista ou antecipado, e cortar o parcelamento.

Com essas dicas em mãos, a sua empresa poderá aplicar procedimentos de gestão e operacional para evitar o prejuízo causado por devedores.

Você também pode gostar