O termo Geolocalização pode até parecer mais uma invenção da tecnologia, mas quem quer vender mais, conhece bem o assunto. Afinal, não existe base mais sólida de vendas do que uma estratégia guiada por dados. E é exatamente isso o que temos com a geolocalização.

Além do termo, explicaremos neste texto como você pode (e deve!) usar essa estratégia aí no seu negócio, independentemente do tamanho dele.

Então já pula pro próximo tópico para começar a entender! 

O que é geolocalização e o que mais você precisa saber

Antes de começar a aplicar a geolocalização ao marketing b2c (Business to Costumer) do seu negócio, veja esse resumo que preparamos.

O que significa geolocalização? 

A geolocalização é a posição geográfica de um objeto ou um dispositivo num sistema de coordenadas. Ou seja, é onde se encontra um determinado aparelho dentro de um mapa.

Essas coordenadas são garantidas por sinais como do GPS (Sistema de Posicionamento Global), da radiofrequência, do AGPS (uma versão aprimorada do GPS) e do Wifi.

Como funciona a geolocalização?

De forma bem resumida, a geolocalização funciona basicamente a partir do cruzamento de informações na forma de um triângulo

Seja por satélites (GPS) ou por torres de telefonias móveis (ondas de rádio) são necessários 3 sinais para a triangulação de dados.

Cada um dos sinais enviados criará uma circunferência no mapa. Essas 3 distâncias vão formar uma pequena interseção, onde poderemos encontrar o objeto, com uma margem de erro de 30 a 100 metros. 

E para que serve? 

A geolocalização serve para diversas coisas, das mais corriqueiras às mais estratégicas, olha só algumas delas:

  • Traçar um caminho em um mapa de um ponto a outro (da sua casa ao mercado, por exemplo);
  •  Planejar a rota de uma viagem;
  • Rastrear veículos;
  • Encontrar aparelhos perdidos ou roubados;
  • Fortalecer estratégias de negócios.

É quase impossível que você nunca tenha utilizado essa tecnologia, principalmente, se você tem um smartphone. Aliás, uma pesquisa mostrou que cada habitante brasileiro já tem dois aparelhos ativos.  

Mas, se ao ler esse último item, você ficou sem entender, calma que vamos te explicar. É o que chamamos de geomarketing.

Mas então o que é geomarketing?

O geomarketing é o uso de dados de localização em estratégias de marketing. Ou seja, é o marketing por geolocalização. Isso permite que você tenha informações como os locais que seu público-alvo frequenta e quais pontos de venda atraem mais pessoas.

A ideia é que sua empresa possa realizar campanhas personalizadas, desenvolvidas a um determinado público, de interesse específico.

Por exemplo, imagine que você usa com frequência seu cartão de crédito no Outback. Se você for a outra cidade que tenha essa rede de restaurantes (ou uma parecida), provavelmente a marca vai tentar chamar sua atenção.   

Isso pode acontecer por um pop-up no Waze ou então por um SMS estratégico com uma oferta. Esse é apenas um dos exemplos de bom uso da geolocalização.

Quais são as vantagens da geolocalização para o seu negócio?

A geolocalização pode ser útil tanto no meio offline, quanto no digital.

No offline, muitas empresas usam essa tecnologia para encontrar novos pontos de venda. Ao analisar dados de localização é possível entender onde há maior movimentação de pessoas. Ou então identificar onde está sua concorrência.

Essas podem ser informações bem interessantes para o posicionamento estratégico de um outdoor ou para a abertura de uma nova loja, você não acha? Além disso, pode ser uma super ajuda na hora de distribuir a mercadoria pelos pontos de revenda, estruturando melhor seu sell-in e sell-out.

A geolocalização no digital também oferece vantagens que podem fazer a diferença no seu negócio, veja:

  • Melhorar o relacionamento com o cliente

O nível do seu relacionamento com o cliente está diretamente ligado à imagem da sua marca. E a experiência do consumidor é parte disso.

Assim, a geolocalização pode ser usada para facilitar a rotina de um cliente. Mostre que seu negócio conhece os hábitos e as preferências dele.

Uma farmácia de bairro enviar um cupom de desconto para quem está por perto pode ser um diferencial. Mas lembre-se: é preciso entender o comportamento desse consumidor antes disso. Essa pessoa costuma ir a farmácias? Ela já comprou de você? O que ela compra geralmente?

  • Segmentar seu público

Com dados de localização, sua empresa pode vender mais porque identifica e filtra quem é realmente seu público-alvo. Você passa a saber como as pessoas se comportam em determinados locais, identificando pontos de interesse e de circulação.

Pelo Google Analytics, um negócio online consegue ver de onde vêm seus visitantes e como eles se comportam no seu site.

Quanto mais informações você tem sobre seu cliente, mais perto da sua persona você está.

  • Monitorar a concorrência e identificar novos mercados 

Identifique lugares com maior concentração do seu público e onde há uma área em branco de atividades.

Imaginemos que você tenha um imobiliária online e está analisando os dados de localização dos visitantes do seu site. Se grande parte do público pesquisa por apartamentos na Região Metropolitana de Campinas, não seria interessante acrescentar mais opções a essa região? E se sua concorrência está aglomerada em um bairro, por que não estudar um novo local que também pode ter movimentação?

Como usar a geolocalização para vender mais

Na prática, existem estratégias interessantes para aplicar a geolocalização no marketing b2c. Saiba como usá-las a favor das suas vendas:

# Geotagging 

Sabe aquelas marcações de localização do Facebook e do Instagram? Isso é geotagging.

Elas são usadas para identificar destinos de viagens e locais de entretenimento. Bares, teatros, casas noturnas e restaurantes podem ser facilmente localizados por essa ferramenta.

Essa é uma boa maneira de ajudar potenciais clientes a descobrirem seu negócio. Afinal, cá entre nós… a foto de um prato bonito na rede social de um amigo é quase um convite!

Estimule esse tipo de uso da geolocalização pelos seus clientes!

# Check- ins

Muitos usuários utilizam esse recurso para mostrar aos amigos onde estão naquele momento. É uma boa lembrança de marca e que pode atrair perfis parecidos com o do seu cliente, o que é bem interessante.

Pense nisso como um engajamento espontâneo e, sempre que possível, ofereça um benefício como incentivo. Uma academia, por exemplo, pode liberar o acesso à rede Wifi a partir do login com o Facebook.

# Geotargeting

Lembra da segmentação do seu público? É quando entra o geotargeting e as campnhas personalizadas na história.

Isso porque, além de estarmos sempre com os nossos smartphones por perto (a maioria com GPS), também preenchemos informações na internet, como formulários que pedem nossa cidade natal e cidade de residência atual.

Seja para uma mensagem de atração, seja para um anúncio, essa estratégia te torna mais assertiva. Exemplo: uma loja de roupas de Belo Horizonte não faz entregas fora do estado. Restringir o público do anúncio só para Minas Gerais economiza seu dinheiro e conversa exatamente com seu público.

# Geofencing

Essa estratégia de geolocalização é bem legal e está começando a crescer em nosso dia a dia. O Geofencing é a interação de uma marca em tempo real com o usuário, a partir da movimentação dele.

Por exemplo, ao passar por determinada região, a pessoa recebe ofertas e descontos. Isso tudo em tempo real e, claro, mediante autorização prévia do uso da localização.

Postos de gasolina já utilizam bastante essa tecnologia no aplicativo do Waze, facilitando bastante a rotina do motorista. Empreendimentos locais também podem atrair novos clientes dessa forma, automatizando o envio de uma notificação ou um SMS.

# Geofiltros

Com a identificação da localização do usuário, aplicativos como Instagram e Snapchat oferecem a possibilidade de inserir filtros. Pode ser um ponto turístico da cidade ou a identidade de um evento, dando mais visibilidade.

Pequenos negócios também podem se aproveitar dessa estratégia, criando um geofiltro da marca.

# Sites personalizados

Muitos sites usam a geolocalização do visitante para entregar um conteúdo personalizado. E-commerces podem dar prioridade a produtos disponíveis em um estoque mais próximo ao usuário, por exemplo. Ou então uma escola de negócios pode filtrar os cursos por estados.

Geolocalização e relacionamento com clientes: saiba mais!

Pense na sua própria experiência com outras marcas e repare naquelas que você gosta. Algum dia elas te fizeram pensar “essa marca sabe o que preciso”? É como vemos a geolocalização, uma das pontes para construir um bom relacionamento.

Quer saber como melhorar o relacionamento com seu cliente? Indicamos este texto aqui!

0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar