A revolução digital tornou a nossa vida mais eficiente e prática, porém, possibilitou a criação de uma variedade de tipos de fraude e golpes nas empresas. Com a internet, o acesso aos dados ficou mais fácil e nossos recursos financeiros, mais vulneráveis.

A fraude é prejudicial para os clientes e para o negócio, decorrendo em alguns casos de má-índole e em outros, da inocência, falta de atenção ou exposição imprudente da vítima. 

Como sua empresa será lesada por qualquer uma dessas situações, é crucial tomar medidas protetivas, utilizando técnicas de identificação, análise e contenção a ataques físicos e virtuais.

Confira agora os tipos de fraude que mais causam danos ao empreendedor e várias sacadas para se proteger da criatividade e disposição dos criminosos.

O que é uma fraude? 

Para iniciarmos a conversa é importante ter o conceito de fraude bem definido. A palavra contém diversos significados na língua portuguesa, todos complementares. Dentre eles:

  • ato de má-fé com o intuito de tirar proveito de alguém;
  • mentira, engano;
  • falsificação de marcas, documentos ou produtos;
  • sonegação de impostos e tributos.

As variações da fraude alcançam diferentes naturezas de crimes e penas previstas por lei, sendo mais conhecidas aquelas previstas no artigo 171 do Código Penal Brasileiro.

A fraude abrange um universo complexo, de diferentes naturezas de crime. O maior intuito de quem aplica um golpe é obter vantagem financeira, mas gera também danos de origem psicológica e de imagem à parte lesada.

Quais os tipos de fraude mais comuns?

Os tipos de fraude se multiplicam de tempos em tempos e seus idealizadores encontram sempre novos mecanismos e brechas para atacar. Contudo, é possível classificar os principais modelos e criar um olhar sistêmico e atento para o problema. Entenda!

Roubo de dados

O roubo de dados geralmente é praticado por meio de sites falsos, onde o golpista espelha as informações de uma página válida para coletar senhas, números de documentos e outras informações pessoais.

Com essas informações ele consegue comprar produtos e serviços, abrir empresas e contrair empréstimos em nome da pessoa idônea, que passa a ser laranja de outros tantos crimes sem saber.

Boletos falsificados

A falsificação de boletos é um dos tipos de fraudes mais comuns. Baseia-se na manipulação do código de barras de um documento original. O documento pode ser enviado pelos Correios ou direcionado à vítima por meio de links e páginas falsas. 

Após o pagamento o dinheiro vai para a conta do golpista. O cliente fica com o boleto real em aberto e o prejuízo, pois dificilmente receberá o valor pago de volta. Para a empresa emissora do documento verdadeiro o grande risco é arcar com a inadimplência.

Autofraude ou fraude amigável

Os dois termos são bastante parecidos. Acontecem em compras pagas com cartão de crédito e dados legítimos. Na autofraude ela é executada pelo próprio dono do cartão e na fraude amigável, por alguém próximo do proprietário.

A pessoa mal intencionada adquire o produto com intenção de solicitar posteriormente o estorno na fatura do cartão de crédito. Para tal, alega não ter recebido o produto ou não ter efetuado aquela compra. 

Os sistemas antifraude dificilmente conseguem identificar esse tipo de golpe e o lojista termina sem a mercadoria e com o prejuízo do cancelamento perante a empresa adquirente das vendas via cartão.

Financiamento com documentos falsificados

Essa falsificação extrapola o campo dos tipos de fraudes digitais. Além do roubo de dados, exige também a confecção de documentos no nome da vítima. Com eles em mãos os fraudadores podem solicitar linhas telefônicas e abrir empresas fantasmas para facilitar o financiamento em lojas e bancos.

A pessoa só descobre que foi lesada quando a empresa a localiza para cobrar a dívida ou quando seu CPF é negativado. Uma maneira de evitar o crime é investir em ferramentas e técnicas para diagnosticar fraudes documentais, se protegendo ainda na fase de liberação do crédito.

Vendas online

Em alguns tipos de fraude de e-commerce tanto a pessoa física quanto jurídica podem ser diretamente lesadas. Um dos casos mais frequentes ocorre quando o fraudador clona algum site de vendas famoso, simulando uma oferta de produto ou eletrônico com preço irresistível.

A empresa efetua o pagamento no site, mas nunca receberá o produto. Portanto, fique atento com preços muito inferiores aos praticados e verifique a procedência dos e-mails recebidos em sua caixa de entrada.

Comprovantes de depósito falsificados

Esse tipo de fraude acontece quando um suposto cliente apresenta um comprovante de depósito para retirar a compra ou em abordagens via telefone e e-mail. Nesse último, o golpista entra em contato, alega ter transferido o valor por engano e pede o ressarcimento para uma conta laranja.

Embora pareçam ações grosseiras, a correria pode levar o funcionário a cair no golpe, já que muitas vezes o criminoso deposita um envelope vazio e o valor aparece vinculado à conta-corrente da empresa.

Somente libere mercadorias ou realize devoluções após o valor da transferência ser devidamente compensado e estiver de fato compondo o saldo disponível no banco.

Quer 5 dicas para proteger a sua empresa de fraudes?

Como os cibercriminosos estão sempre inventando novos golpes e atacando em diversas frentes, sua estratégia de proteção precisa seguir o mesmo caminho e abranger diversos setores.

Confira a seguir 5 estratégias de prevenção de fraudes, úteis para eliminar fragilidades que costumam atrair ataques e pessoas mal-intencionadas.

1. Tenha uma política antifraude

Inicie seu protocolo de proteção elaborando diretrizes de contenção e gerenciamento de fraudes pela internet e presenciais. 

Além de definir os procedimentos corretos para que sua equipe aja em caso de suspeitas, tenha um sistema antifraude, especializado em conter os diversos tipos de fraudes digitais existentes.

2. Execute a validação cadastral

A validação de dados verifica as informações e os documentos fornecidos pelo futuro cliente, permitindo uma venda segura desde o primeiro contato. O mercado conta atualmente com ferramentas que permitem busca e conferência de CPF, CNPJ e telefones, além de outros pontos de contato relevantes.

Outra vantagem desses sistemas é que eles permitem também a validação dos dados que já constam no seu cadastro. Assim, você não se protege apenas de futuras fraudes, mas higieniza inconsistências da base e recupera contato com clientes antigos.

3. Implemente a análise de crédito

A inadimplência é o produto resultante de diversos tipos de fraude, principalmente em vendas realizadas para pessoas de má-fé, ou mau pagadores. Por isso, é essencial ter um processo de análise de crédito bem estruturado que atue como preventivo do problema. 

A automação também é um recurso interessante nesse caso. Invista em plataformas que realizem consultas de forma rápida — o que deixa o processo mais eficiente — e que forneçam informações complementares, como a propensão de pagamentos do avaliado.

4. Valorize os bons clientes

Um protocolo antifraude configurado no nível máximo elimina a ação dos golpistas, mas também gera o risco de perder boas oportunidades de venda. O ideal é buscar o equilíbrio e construir um relacionamento de confiança com clientes idôneos e que trazem bons resultados para a empresa.

5. Invista em reconhecimento facial

A biometria facial é a tecnologia que permite a identificação de rostos para validação de dados. Consiste na captura de uma imagem em tempo real, comparada com fotos já existentes em banco de dados.

A ferramenta pode evitar as fraudes de identidade e falsificação de documentos. É útil para autorizar o acesso a sites, substituindo o uso tradicional de senhas. Outra aplicação da ferramenta é no controle de acesso a áreas restritas, como tesouraria e financeiro, garantindo proteção extra contra outros tipos de fraudes financeiras.

Confira mais no nosso webinar:

A tarefa de construir uma empresa blindada é abrangente e envolve prevenção, monitoramento, avaliação e correção de riscos. Após essa leitura você cumpriu a etapa zero do desafio, conhecendo melhor os tipos de fraude e as medidas necessárias para contê-las. Nos vemos nas próximas etapas de uma jornada antifraude e pró-crescimento!

Pronto para o próximo passo?

Proteger o negócio da fraude é importantíssimo. Além disso, é fundamental atuar na reversão dos atrasos, de modo a manter as finanças e a operação equilibradas. Clique aqui e entenda como fazer uma gestão de cobrança eficiente no varejo.

0 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar