Afinal, como utilizar o factoring para controle de fluxo de caixa?

Você sabe como o factoring pode contribuir para controlar o fluxo de caixa? Veja as características dessa modalidade e os motivos que justificam sua adoção.

Trabalhar no setor de crédito de uma empresa pode ser um desafio e tanto, não é mesmo? É preciso estar alinhado à equipe financeira e garantir um bom controle do fluxo de caixa. Você sabe como alcançar esse propósito? Uma boa maneira de chegar lá é por meio do factoring.

O objetivo dessa prática é adiantar os recursos financeiros que serão recebidos no futuro. Assim, o saldo de caixa é reforçado e as contas podem ser pagas em dia, sem incidência de multas e juros.

Essa explicação simples já deixa bem claro que é um bom benefício, certo? Apesar disso, ainda existem outros detalhes importantes que devem ser avaliados.

É por isso que criamos este post. Aqui, você entenderá melhor o que significa adiantar o capital, as modalidades existentes, como controlar as finanças a partir dessa abordagem e como contratar o serviço. Ficou interessado? Então, acompanhe!

O que é factoring e como funciona?

Diferentemente de uma operação de crédito ou de uma atividade financeira, o fomento mercantil é uma modalidade que visa à antecipação dos pagamentos de mercadorias ou serviços adquiridos a prazo pelos clientes.

Em outras palavras, você vende esses créditos — que estarão disponíveis no futuro — a uma empresa especializada, que repassará o valor à vista, com o desconto do chamado fator de compra.

Esse índice é composto por quatro fatores: carga tributária, despesas de cobrança e operacionais, expectativa de lucro e risco e custo de oportunidade dos recursos relativos à empresa contratada.

Quando somados, esses aspectos ainda tornam o percentual de desconto menor que as taxas de juros praticadas em empréstimos e financiamentos.

A grande vantagem em antecipar os pagamentos é evitar o endividamento do negócio e ter acesso aos recursos rapidamente. Além disso, você consegue acessar informações relevantes sobre a situação de crédito dos seus clientes e pode negociar melhor com fornecedores.

Devido a essas características, essa modalidade pode ser adotada exclusivamente por pessoas jurídicas, isto é, empresas, especialmente as de pequeno e médio porte.

Por meio dela, você consegue alavancar suas operações e garantir o adiantamento das receitas para ter mais poder de compra e de negociação, assim como estabilidade financeira e controle do fluxo de caixa.

Quais são suas principais modalidades?

O benefício de antecipar pagamentos pode ser aproveitado sempre que necessário. O recurso pode ser usado de diversas formas, mas o controle das finanças é um dos principais objetivos.

Dentro desse contexto, cinco modalidades podem ser adotadas. Confira!

1. Convencional

Envolve a compra dos direitos de créditos a partir de um contrato de fomento mercantil. O pagamento é feito à vista e, por isso, não se realiza adiantamento ou antecipação de capital. Na prática, o que acontece é que você vende, por exemplo, uma duplicata a prazo e recebe o valor na hora.

2. Maturity

Repassa a administração das contas do seu negócio para a empresa especializada. Os títulos são liquidados no vencimento pela factoring. Por isso, você deixa de se preocupar com a cobrança e com os riscos referentes à transação.

3. Matéria-prima

Há o intermédio da empresa de fomento mercantil na relação entre o seu negócio e os fornecedores.

A matéria-prima, os estoques ou os insumos são pagos à vista, mas você só quita o valor correspondente no futuro, depois de lucrar com a produção ou a venda dos itens.

4. Trustee

Abrange a gestão financeira de contas a pagar e a receber, sendo que a empresa de fomento faz a cobrança e a compra dos títulos.

Também é responsável pela assessoria financeira e administrativa. Por conta dessas peculiaridades, não existe antecipação de recursos ou compra de créditos. É uma mistura do modelo convencional e do maturity.

5. Exportação

É aplicado em relações comerciais internacionais. Nesse cenário, duas empresas de fomento mercantil de dois países distintos negociam e asseguram a liquidação e a operacionalidade da transação.

Como usar o factoring para controlar o fluxo de caixa?

Essa modalidade é indicada para qualquer empresa que esteja em uma situação de endividamento e/ou falta de recursos financeiros. Para entender o cenário, é preciso avaliar a liquidez financeira do seu negócio, ou seja, a capacidade de pagamento para o presente e o futuro.

Outro fator importante é a rentabilidade. Esse índice deve ser calculado a partir dos resultados obtidos e de investimentos ou custos. O terceiro aspecto relevante são os ciclos operacional e financeiro.

O primeiro é o total de eventos da compra de matéria-prima ao recebimento das vendas realizadas. Já o segundo é o tempo de pagamento aos fornecedores até o reembolso das comercializações do produto final.

Por fim, confira os prazos médios de pagamento (PMP) e recebimento (PMR). O PMP se refere ao período entre a compra e o reembolso ao fornecedor. Por exemplo: você adquire um insumo e paga em duas vezes. Então, o PMP é de 50% à vista e a outra metade em 30 dias.

O PMR, por sua vez, é o intervalo de tempo entre a venda do produto ou serviço e o recebimento do dinheiro.

Se a comercialização foi feita parcelada em três vezes sem entrada, significa que receberá, aproximadamente, 33% em 30 dias, o mesmo percentual em 60 dias e 34% em 90 dias.

Todos esses índices levarão à necessidade de capital de giro (NCG), que indicará a quantia mínima necessária para o funcionamento das operações. Achou muito complicado? Saiba que podem ser observados os motivos que levam à contratação do fomento mercantil. Acompanhe!

Controle financeiro

Sua empresa pode ter capital de giro, mas ele não conseguir acompanhar a demanda. Ou ainda precisar adquirir muitos insumos e, por isso, não ter possibilidade de realizar investimentos para aumentar a oferta de produtos, por exemplo.

Essas duas situações são derivadas da falta de controle financeiro, que pode impactar até a sobrevivência do negócio. É fundamental fazer um acompanhamento próximo do fluxo de caixa e identificar a capacidade de pagamento.

Amortecimento de imprevistos

Uma situação atípica pode causar prejuízos ao seu controle financeiro — afinal, normalmente é preciso desembolsar uma quantia significativa sem estar preparado para isso. É aí que a operação de fomento mercantil ajuda a equilibrar o caixa.

Ao deixar de contar com recursos limitados, fica mais fácil continuar em funcionamento e aproveitar as oportunidades.

Planejamento a longo prazo

Seu saldo de caixa ainda é suficiente para o pagamento de contas? Talvez esteja na hora de pensar em investimentos para crescer mais rápido e de maneira sustentável.

Ao fatorizar os créditos a receber, fortalece seu capital sem assumir nenhuma dívida, o que consolida o seu planejamento de longo prazo.

Em suma, o factoring é uma modalidade que injeta recursos no caixa e garante o pagamento de contas básicas, como obrigações fiscais, salários, fornecedores e mais. Assim, você consegue fazer um controle mais adequado da movimentação financeira do negócio e se prepara para o futuro.

Como contratar o factoring para essa finalidade?

O primeiro passo é encontrar uma empresa especializada confiável e com bom histórico no mercado. Você deve pesquisar na internet e comparar as taxas de serviço e outras que podem ser cobradas. Considere todos os custos antes de fechar negócio e preze sempre pelo custo-benefício.

Em seguida, é preciso dar entrada no processo. Há diferentes etapas, a partir da empresa de fomento escolhida. De modo geral, há quatro estágios:

  • cadastro — contempla a entrega de documento e a análise do perfil de crédito da sua empresa;
  • envio de títulos — repasse dos direitos creditórios, até mesmo por e-mail ou site;
  • proposta — avalia-se a proposição recebida do operador de fomento e os custos envolvidos;
  • contrato — é a assinatura das duplicatas e do documento que rege a relação de antecipação dos pagamentos.

Como você pôde perceber, o procedimento de solicitação do factoring é bastante simples. Com os recursos recebidos, fica fácil controlar o fluxo de caixa e equilibrar as finanças, sem assumir dívidas e outros compromissos financeiros.

O resultado é o crescimento saudável do negócio e mais tranquilidade para a sua rotina operacional.

Agora que você já sabe como usar o factoring para controlar o seu fluxo de caixa, é importante saber também de outro ponto essencial: validar os dados do cliente nesse processo. Para saber como fazer isso com segurança, clique aqui e acesse nosso post sobre o assunto!

Deixe uma resposta