Você também pode acompanhar o artigo Checklist: como montar a Política de Crédito da empresa? por áudio. É só clicar no player abaixo!

Responsável por estabelecer regras e direcionamentos nas vendas a prazo, ofertas de crédito ou pagamentos por recorrência, a política de crédito da empresa precisa englobar variáveis capazes de trazer segurança, competitividade e crescimento para o negócio.

A internet está cheia de conteúdos sobre isso e aqui na Assertiva você encontra diversos deles. Ainda sim, precisamos ir além e te contar o que não pode faltar na estruturação de uma política de crédito de sucesso.

Para isso, criamos um checklist com os itens essenciais. Sem mais demora, vamos a eles!

1. Defina quem terá direito ao crédito

O primeiro passo para construir sua política é definir qual perfil de cliente terá acesso às condições. Para esse critério, não existe um certo ou errado. Cabe ao empresário definir os parâmetros que filtram essas pessoas.

É possível estabelecer a regra conforme o tempo de relação comercial, valor mínimo de pedido, bom histórico de pagamento em outros estabelecimentos ou a combinação desses elementos. Existem mais pontos de contato que podem ser utilizados. Adote-os conforme as particularidades do negócio.

2. Estabeleça os métodos de análise

Defina quais ferramentas serão utilizadas na tomada de decisão da liberação de crédito. É interessante adotar o uso de uma ficha cadastral, seguido de pesquisa sobre o score de crédito e definição de um ranking de risco, baseado em indicadores como o behaviour score e o collection score.

Perceba também que as políticas de análise de crédito de pessoas física e jurídica precisarão de metodologias diferenciadas. No geral, esses métodos devem abordar os 5 C’s do crédito, que são:

  • caráter: intenção do tomador do crédito de cumprir ou não com o compromisso;
  • capacidade: habilidade de obter o dinheiro necessário para honrar os pagamentos;
  • capital: condição financeira atual do consumidor;
  • condições: a situação do ambiente externo e como ela pode afetar o negócio;
  • colateral: o nível de comprometimento do cliente em honrar as dívidas.

3. Tenha exigências mínimas na política de crédito da empresa

Complementando as regras de quem terá acesso ao crédito, estabeleça algumas condições mínimas para liberação, informando-as previamente ao cliente. Essa medida serve para padronizar o processo de análise, bem como otimizar o tempo de aprovação.

Afinal, o cadastro seguirá para análise somente se o cliente apresentar o mínimo para solicitar o crédito. Dentre essas exigências, solicite comprovação de renda, de residência, período mínimo de registro em carteira, referências, etc.

4. Relacione fontes de informação e consulta 

Disponibilize dentro da política de crédito da empresa alguns procedimentos para checagem dos dados fornecidos. Tenha também ferramentas para obtenção de dados relevantes para compor o histórico, como consulta de cheques, restrições comerciais e outros.

5. Defina prazos, taxas e formas de pagamento

Quem definirá essas condições, mais uma vez, é o proprietário da empresa. Dentre as formas de pagamento existentes, somente o recebimento em dinheiro é obrigatório. Boleto e demais condições variam conforme o tipo de política de crédito adotada.

O mesmo vale para prazos. Você pode adotar diferentes critérios conforme a extensão das datas. Lembre-se que a medida que o tempo passa, maior é o risco de não receber a dívida.

A taxa de financiamento pode acompanhar a evolução dos prazos, estabelecendo um percentual maior nas vendas com recebimento mais distante. É possível utilizar ainda outros fatores, como a conjuntura econômica e o percentual de inadimplência do negócio.

6. Ofereça limites de crédito

Definir um valor limite de compras a prazo pode parecer uma tarefa fácil. No entanto, esse teto representa o risco máximo que sua empresa está disposta a correr a cada venda. Faça uma análise dos dados de faturamento e estabeleça o percentual máximo que pode se transformar em recebíveis de médio prazo. 

Esse será o seu nível de risco. Utilize-o conjuntamente com outros critérios — como a capacidade de pagamento — para estabelecer os limites de crédito.

7. Oriente acerca das garantias e reavaliação de crédito

Transações de maior valor podem exigir bens ou outros ativos em garantia. Se este for o caso ou se você desejar que sua política abranja essa questão, defina quais tipos de garantia serão aceitos e critérios para avaliação do recurso.

Será preciso realizar também uma revisão e renovação de cadastro para novas compras. Estabeleça um prazo mínimo para o procedimento e quais comprovações solicitar nessa nova análise. 

Assim como a situação da própria empresa pode oscilar, não dá para garantir que um cliente que comprou há seis meses e pagou em dia antes continuará com a mesma capacidade financeira.

8. Determine os critérios da perda ou suspensão de crédito

A política de crédito da empresa precisa estabelecer percentuais de juros e mora por atraso para minimizar as perdas financeiras com atrasos. Casos recorrentes ou dívidas longas precisam de medidas mais severas.

Para isso, defina as situações em que o cliente poderá ter o limite de crédito suspenso e em quais ocorrências ele perderá o benefício de comprar a prazo em sua empresa.

9. Nomeie quem terá poder de decisão 

Finalizando o fundamental de uma política de crédito, defina responsáveis por cada setor ou procedimento e os níveis de prioridade, ou seja, até onde vai a autonomia de cada profissional.

É preciso decidir qual será o poder de decisão de um analista de crédito, por exemplo. Essa definição pode ser parametrizada por faixa de faturamento, por perfil ou grupos de clientes, ou conforme a modalidade de crédito escolhida. 

10. Monitore e aprimore os resultados

Agora que a política de crédito está pronta, instaure-a em caráter de teste. Nessa fase, verifique o que dá certo e o que pode ser acrescentado. Além de utilizar indicadores para medir a eficiência prática, confirme se os procedimentos adotados estão alinhados à identidade corporativa e aos objetivos da empresa.

O ideal é que a política de crédito da empresa aborde todos os elementos que citamos aqui. Elabore-os cuidadosamente e reúna tudo em um manual para ser compartilhado com os colaboradores. Assim, sua companhia estará realmente amparada por diretrizes de crédito seguras. 

Mapeie a jornada do seu cliente e aprimore a política de crédito da sua empresa!

Uma política de crédito eficiente precisa compreender também o comportamento do público, oferecendo soluções sob medida para ele. Clique aqui, entenda mais sobre o ciclo de crédito e descubra como ele pode favorecer uma concessão de crédito segura e, ao mesmo tempo, dinâmica!

332 Shares:
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar