Saiba como construir uma boa política de crédito

A inadimplência é um dos principais desafios enfrentados pelos empresários brasileiros. Mesmo tendo muita cautela, é praticamente impossível evitá-la por completo.

O problema é que, se a empresa não oferecer a opção de parcelar as compras dos consumidores, dificilmente aumentará o volume de vendas ou atrairá mais clientes. Então, para equilibrar os riscos com as oportunidades na dose certa, você deve criar uma boa política de crédito.

Essa estratégia deve trazer muitos benefícios para o negócio, como potencializar a análise de crédito. Por isso, não deve ser ignorada, sobretudo em um cenário econômico tão complicado como o que vivemos atualmente.

Neste post, você vai entender o que é uma política de crédito, como ela deve ajudar o seu negócio e, claro, como colocá-la em prática de forma eficiente. Confira!

O que é política de crédito?

Política de crédito significa um conjunto de critérios estabelecido pelos gestores para tornar as operações de crédito (financiamentos e empréstimos) viáveis aos clientes e, também, à própria empresa. Cada organização pode adotar as suas próprias regras e atender às necessidades da empresa e dos clientes em equilíbrio.

Na maioria dos casos, os parâmetros para a liberação do crédito dependem da situação financeira da empresa (índice de inadimplência), das condições do cliente (potencial de compra e de pagamento) e do cenário econômico nacional e internacional do momento.

Por exemplo: se a empresa registra baixas taxas de inadimplência, o país vive um momento de solidez na economia, com o dólar estável, e se depara com um cliente financeiramente controlado (com boa renda, poucas dívidas e despesas), tem condições favoráveis para liberar mais crédito e estimular o aumento das vendas a prazo.

Nesse caso, podemos dizer que o crédito é usado para fomentar o crescimento do negócio, sendo uma forma de investimento.

Por que é tão importante ter uma política de crédito na empresa?

Uma boa política de crédito deve estimular o aumento do volume de vendas na empresa, possibilitando elevar o ticket médio dos clientes considerados bons pagadores. Além disso, é um instrumento aliado da prevenção de dívidas, já que combate diretamente a inadimplência, evitando a liberação de crédito para os clientes considerados de alto risco.

Essa estratégia também contribui para diminuir o grau de risco assumido pela empresa no mercado e para alcançar os objetivos financeiros traçados. Consequentemente, a taxa de rentabilidade do negócio aumenta, tornando-o mais atrativo aos olhos dos sócios e investidores.

Dicas para construir uma boa política de crédito

Diante da importância da estratégia, preparamos um passo a passo para ajudar você a criar uma política de crédito eficiente. Confira.

Crie uma ficha cadastral para coletar os dados necessários

A primeira coisa que você deve fazer é criar uma ficha com espaços para preencher as informações mais importantes sobre o cliente, como nome completo, números de documentos (CPF e RG), contatos (telefone fixo, celular, e-mail e rede social), endereço residencial (cidade, bairro, rua, número da casa ou apartamento e ponto de referência), idade, profissão, onde trabalha (empresa e localidade) e outras informações que considerar relevantes.

Quanto mais informações puder registrar, mais segura será a liberação do crédito. Mas não esqueça de manter esses dados sempre atualizados. Assim, terá uma ficha cadastral altamente confiável para realizar as consultas na hora da análise.

Analise o histórico de compras na loja e em outros estabelecimentos

Inclua na sua ficha de cadastro um campo para preencher informações sobre as compras do cliente. Isso inclui o que costuma comprar, frequência, volume, prazos concedidos, média de atraso dos pagamentos e o que mais achar importante.

E não é só isso: registre também informações de compras em outras empresas para descobrir pendências, negativações e score de crédito que o cliente tem no mercado. Esses dados podem ser obtidos por meio de rápidas consultas em um sistema específico.

Com esse histórico de registros, você terá uma base sólida para sustentar a análise de crédito e decidir quanto deve liberar de maneira segura, qual taxa de crédito deve cobrar, número e valor de parcelas.

Verifique a capacidade de pagamento do cliente

Ainda na ficha de cadastro, reserve um espaço para registrar a situação financeira dos clientes. Para isso, considere as informações sobre fontes de renda e de que forma recebe (assalariado, autônomo ou profissional liberal). Se tiver mais de uma, anote também, sempre atestando por meio de contracheques, extratos bancários ou comprovantes de declaração de Imposto de Renda.

Depois, verifique as dívidas que o cliente tem em aberto e a média de despesas do orçamento familiar. A ideia é comparar os ganhos com os gastos para saber se ele tem condições de honrar com os pagamentos ao adicionar mais uma dívida nesse cálculo.

Isso se chama crédito consciente e ajuda tanto a empresa quanto os clientes a não se endividarem. Use essa comparação para liberar crédito na medida certa.

Monitore e controle os resultados

Depois de criar uma ficha cadastral completa e formar um bom banco de dados para pesquisas, a realização da análise de crédito deve gerar um impacto positivo no negócio, pois o nível de informações disponíveis sobre os clientes influenciará num processo mais ágil e certeiro, evitando equívocos.

Mas, para ter certeza disso, é vital ter o hábito de monitorar os resultados periodicamente a fim de comprovar a eficácia da política de crédito adotada pela empresa. Se a taxa de inadimplência registrar baixas consecutivas, é um sinal de que a estratégia deu certo. Porém, o contrário exigirá uma nova avaliação dos processos.

Para isso, utilize métricas de resultados e se baseie em relatórios mensais, trimestrais e semestrais para não perder o controle da situação. Monitore as dívidas em aberto (dentro do prazo e vencidas) e limite o volume de crédito liberado por mês para assumir riscos de maneira controlada.

Lembre-se que o objetivo da estratégia é identificar o perfil dos clientes de maneira exata e disponibilizar crédito na medida certa, negando ou limitando o recurso aos maus pagadores e liberando um volume maior dele aos mais confiáveis.

Agora que você já sabe como implementar uma boa política de crédito na empresa, não perca mais tempo e dinheiro. Planeje ainda hoje a sua estratégia e combata a inadimplência!

Gostou das dicas?

Aproveite para assinar a nossa newsletter! Assim, você recebe mais informações como essa diretamente no seu e-mail.

Deixe uma resposta