Como fazer análise de crédito?

Como fazer análise de crédito?

O grande desafio de quem vende à prazo hoje é saber como fazer análise de crédito. Uma boa análise de crédito não significa apenas realizar uma consulta de crédito para saber se a pessoa em questão possui débitos em aberto, vai muito além disso.

A análise para a concessão de crédito, financiamento ou outros tipos de operações que exigem ceder valores financeiros para que outra pessoa ou empresa pague dentro de um determinado prazo é um processo que, dependendo dos valores e riscos envolvidos, pode ser realizado de diversas formas e em vários passos.

Qual é a natureza do negócio?

O mais importante de todos os pontos na hora de pensar em análise para conceder crédito ou financiamento é entender qual é a natureza do negócio ou da troca em si. Existe uma diferença entre crédito e financiamento. O crédito é uma forma mais ampla de financiamento, pois nele uma empresa cede um valor monetário para que uma pessoa ou empresa possa usar como quiser.

No financiamento, por outro lado, uma empresa cede o valor financeiro para que uma pessoa ou empresa compre um bem ou serviço previamente definido, como carro, casa, móveis, roupas e outros. Quando o financiamento de algo físico – carro, terreno, casa, móveis e eletrodomésticos – pode ser mais fácil analisar a capacidade de pagamento, pois a própria natureza do financiamento traz algumas dicas.

Mesmo dentro do financiamento de coisas físicas existem variações. Por exemplo, o financiamento de um terreno tem muito mais garantia de recebimento do que o de um carro, pois no caso do terreno ele pode ser tomado como garantia do próprio financiamento e dificilmente isso causa prejuízos para a empresa que cedeu o valor monetário. Já o carro tende a perder valor com o tempo, isso faz com que mesmo que ele seja apreendido para quitar o valor restante da dívida ainda acarrete perdas.

Se o financiamento é da compra de móveis, roupas, eletrodomésticos ou ou outros bens que possam sofrer graves desgastes ou avarias com o uso, esse risco fica ainda mais evidente.

Sendo assim, analisar o risco de conceder um financiamento está intimamente ligado a natureza do que está sendo financiado. Por outro lado, a concessão de crédito precisa ser analisada com mais cuidado ainda, uma vez que, dependendo do contrato de empréstimo, não existe o que ser tomado como salvaguarda para o não pagamento.

Qual é o perfil do tomador do crédito?

Saber se o que está em jogo é uma concessão de crédito ou um financiamento e qual é a natureza do negócio é importante, mas tão importante quanto isso é entender qual é o perfil da pessoa – física ou jurídica – que está pedindo o crédito ou financiamento.

O perfil do tomador de crédito pode ser composto por uma combinação de informações vindas da consulta de crédito, do score de crédito, da validação dos dados cadastrais, do acompanhamento contínuo das atualizações de mudanças em informações cadastrais e de documentos que podem compor um relatório analítico a respeito do documento analisado.

Documentos e relatórios para a análise de crédito

Qualquer tipo de informação fornecida pela pessoa que busca uma concessão de crédito ou financiamento precisa ser validada com base em documentos, relatórios e consultas que esclareçam e facilitem a tomada de decisão de conceder ou não o pedido de crédito ou financiamento.

Consulta de crédito – A consulta de crédito é, sem dúvida, a ação mais rápida e simples na hora de avaliar a concessão de crédito. Geralmente, essa consulta traz informações sobre débitos ou pendências financeiras, score de crédito e outros dados que podem ser úteis.

Validação de dados cadastrais – Assim como consultar o crédito é importante, uma boa validação cadastral pode fazer toda a diferença na hora de conceder financiamento ou crédito de forma segura. A validação de dados pode trazer, por exemplo, informações sobre endereços, e-mails, telefones, quadro societário, empregadores e pessoas relacionadas, sobre pessoas e empresas. Essas informações são a base para compor um bom dossiê e fortalecer a análise de crédito.

Comprovação de renda – Comprovar a renda de uma pessoa que pede um empréstimo ou financiamento é importante, por isso esse é um dos documentos básicos. Mas é importante que essa comprovação por documento venha acompanhada de outros vestígios que podem indicar a renda com menos discrepâncias. Por exemplo, uma validação que indique empregadores, imposto de renda, participações em empresas ou mesmo o local em que a pessoa mora – pois pode ser um indicador de classe social e renda.

Comprometimento da renda – Com os dados de comprovação de renda em mãos o próximo passo é verificar qual é a parcela dessa renda que vai ser comprometida com o crédito ou financiamento. A proporção da renda que pode ser comprometida varia de pessoa para pessoa e mesmo entre instituições, mas geralmente fica entre 20% e 30% de todos os rendimentos somados.

Acompanhamento contínuo – Quando o financiamento ou a concessão de crédito é realizada para já clientes ou prospects, o acompanhamento contínuo dessa pessoa ou empresa é uma das formas mais seguras de tomar decisões de crédito assertiva. O acompanhamento fornece informações sobre mudanças no status de inadimplência, dados cadastrais, protestos e outros.

Clique aqui e baixe agora o nosso combo de conteúdos sobre como fazer uma política de crédito!

Use a tecnologia pra melhorar sua concessão de crédito

Quer saber como a Assertiva pode lhe ajudar na hora de consultar crédito, validar dados cadastrais e realizar o acompanhamento contínuo de informações e crédito da sua carteira de clientes ou prospects? Entre em contato conosco e fale com um especialista clicando aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar